Justiça nega pedido de adiamento da eleição presidencial no São Paulo

Às vésperas da eleição presidencial no São Paulo, marcada para à noite dessa terça-feira, no Morumbi, o conselheiro de oposição Newton Ferreira, o Newton “do Chapéu”, tentou adiar o pleito com uma ação na 3ª Vara Cível, foro regional XV do Butantã, alegando que 59 conselheiros vitalícios eleitos em 2004, antes da reforma do estatuto do clube, não teriam o direito de exercer o poder de veto. A solicitação, porém, já foi indeferida e, por ora, a eleição vai acontecer normalmente.

Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, é o candidato da situação e favorito na disputa depois de passar os últimos meses cumprindo um mandato ‘tampão’, necessário pela renuncia do então presidente Carlos Miguel Aidar. Mas, José Eduardo Mesquita Pimenta, mandatário no início dos anos 90, período de glórias do Tricolor Paulista, tenta reocupar o cargo.

Vale lembrar que o presidente eleito nessa terça ficará três anos à frente do clube e receberá um salário de no máximo R$ 27 mil por mês. Essa é uma das alterações no Estatuto do São Paulo, que acabou sofrendo uma reforma depois do mesmo Newton “do Chapéu” ameaçar derrubar todas as medidas feitas nos últimos 13 anos também por meio de uma ação judicial.