Justiça decreta prisão de suspeitos pela morte de fundador da Mancha

O Ministério Público de São Paulo informou na noite desta sexta-feira que a Justiça decretou a prisão de dois suspeitos pelo assassinato de Moacir Bianchi, fundador da torcida palmeirense Mancha Alviverde.

O MP-SP comunicou que a decisão foi resultado de um trabalho conjunto com o Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP). O torcedor foi morto com 22 tiros na madrugada de 2 de março, na avenida Presidente Wilson, no Ipiranga.

A nota do MP-SP apontou ainda que “o promotor de Justiça Tomás Ramadan solicitou à Polícia Civil que reúna mais elementos para esclarecer, de forma definitiva, qual foi a motivação do crime, que ocorreu logo após uma reunião na sede da torcida”.

As autoridades fizeram o monitoramento dos veículos que teriam sido utilizados no crime, para tentar identificar o autor dos disparos e também o condutor de um dos carros. Além disso, a investigação conta com os relatos de testemunhas.

Depois da morte de Bianchi, a Mancha anunciou que encerraria suas atividades. Porém, a uniformizada recuou e informou nesta sexta-feira que passará por mudanças, inclusive com a renúncia da atual diretoria.

Leia também