Justiça condena três torcedores corintianos por morte de palmeirense

BRUNO THADEU

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A Justiça condenou três torcedores do Corinthians pela morte de Gilberto Torres Pereira, ocorrida em 20 de agosto de 2014. Raimundo Cesar Justino foi condenado a 21 anos de prisão; Gentil Chaves Siani foi condenado a 18 anos de prisão. Leonardo Gomes dos Santos, condenado a 16 anos.

Os três pertenciam à torcida Gaviões da Fiel e foram condenados por matar Pereira apenas por ser palmeirense, sendo escolhido aleatoriamente.

A Justiça entendeu que Raimundo, Gentil e Leonardo seguiam para uma festa e se dirigiram à estação de trem em Franco da Rocha, São Paulo, cientes de que haveria torcedores do Palmeiras, pois o time alviverde jogaria no dia contra o São Paulo, no Pacaembu.

Gilberto Pereira integrava a torcida Mancha Alviverde e estava na estação à espera do trem, quando foi espancado e atingido por pedaços de madeira.

Pereira sofreu traumatismo craniano, e foi levado ao hospital, mas morreu três dias depois.

Entre os réus está o ex-vereador Raimundo Cesar Faustino, o Capá, que foi visto por policiais militares durante o tumulto agredindo a vítima com um galho de árvore. Capá já tinha histórico de brigas. Em 2013, ele foi flagrado brigando com torcedores do Vasco na arquibancada do estádio Mané Garrincha, em Brasília.

Na manhã de quarta-feira, foram ouvidas 12 testemunhas de defesa e acusação, além dos réus. A condenação ocorreu na madrugada desta quinta.