Justiça bate o martelo em processo contra Gabigol após flagra em cassino clandestino - veja os termos da decisão

·1 minuto de leitura

Gabigol respondia processo por crime contra a saúde pública após ser flagrado em um cassino clandestino de São Paulo. Mas não responde mais. A tramitação do caso foi extinta nesta semana após acordo para o pagamento de R$ 110 mil por parte do atleta.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O atacante do Flamengo, como relembra o GE, foi encontrado pelos policiais, no bairro do Itaim Bibi, depois de ficar cerca de uma hora escondido sob uma mesa. Acabou levado para uma delegacia e assinou um Termo Circunstanciado antes de ser liberado. Ao falar sobre o caso, à TV Globo, disse que apenas tinha saído para jantar, atendendo a um convite de amigos. "Acho que faltou um pouquinho de sensibilidade, mas sempre usando máscara, sempre com álcool gel. Realmente, quando eu percebi que tinha um pouco mais de gente, estava indo embora", disse.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Gabigol, pela lei, poderia ser penalizado com um mês a um ano de detenção em caso de condenação. Por conta do acordo, essa possibilidade fica extinta. O valor será destinado ao Fundo Municipal da Criança e do Adolescente.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos