Justiça Argentina acusa médico de Diego Maradona por homicídio culposo; entenda

Nathalia Almeida
·1 minuto de leitura

O inesperado e doloroso falecimento do gênio Diego Armando Maradona, confirmado no início da tarde da última quarta-feira (25), pode ter sido oriundo de negligência médica. Essa é uma das possibilidades/teorias investigadas a fundo nos últimas dias pela Justiça Argentina.

De acordo com o jornal 'Marca' - notícia repercutida na manhã deste domingo (29) pelo portal G1 -, o médico de Diego Maradona, Leopoldo Luque, está sendo formalmente acusado de homicídio culposo, quando não há intenção de matar. Ele foi intimado a prestar depoimento ao Ministério Público sobre suas ações nos últimos dias de vida do ex-jogador. Além disso, sua casa e a clínica onde Maradona estava internado já são alvos de buscas, autorizadas por um juiz local.

SSC Napoli v HNK Rijeka: Group F - UEFA Europa League | Francesco Pecoraro/Getty Images
SSC Napoli v HNK Rijeka: Group F - UEFA Europa League | Francesco Pecoraro/Getty Images

"A investigação foi iniciada porque é uma pessoa que faleceu em casa e ninguém assinou a certidão de óbito. Não quer dizer que haja suspeitas de irregularidades, mas é isso que está sendo apurado. Temos que ver se cumpriram com seu dever ou se houve um relaxamento", afirmou uma fonte que pediu anonimato.

Os primeiros depoimentos começaram a ser coletados pela Justiça Argentina, com pequenas contradições relativas às últimas horas de Maradona já surgindo. O objetivo da Procuradoria é entender se o craque recebeu os cuidados necessários, as condições de sua alta médica e se houve negligência no tratamento recebido na clínica. Outro fator que chama atenção e que foi motivo de indignação para familiares e pessoas próximas de Maradona foi a demora na chegada das ambulâncias ao local no dia do ocorrido.