Justiça anula Comissão de Atletas e eleição da CBDA é suspensa

Na última terça-feira, a nadadora Joana Maranhão, o ex-nadador Rodrigo Munhoz e a jogadora de polo aquático Camila Pedrosa entraram com uma ação para que a escolha de Thiago Pereira como representante da Comissão de Atletas da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) fosse revogada.

O juiz Leonardo de Castro Gomes, da 17ª Vara Cível do Rio de Janeiro, aceitou o recurso dos atletas, e a indicação de Thiago Pereira foi revogada. A intenção é que a eleição para a Comissão dos Atletas seja realizada pelos próprios esportistas, conforme prevê Lei Pelé, o que não aconteceu, já que Pereira foi indicado pela própria Confederação.

Dessa maneira, a eleição presidencial da CBDA, que aconteceria no próximo dia 18 de março, foi suspensa. O então chefe da entidade, Coaracy Nunes, já lidera a Confederação por 30 anos.

A decisão do juiz também determina que, caso nova eleição para a Comissão dos Atletas não seja realizada em 60 dias, a CBDA será obrigada a arcar com a multa de R$ 10 mil reais por mês.

Leia também