Justiça aceita denúncia contra Wagner Pires, Sérgio Nonato e Itair Machado, que viram réus

Valinor Conteúdo
·2 minuto de leitura


A 7ª Vara Justiça de Minas Gerais acatou denúncia do Ministério Público de Minas Gerais e vai processar criminalmente contra os ex-dirigentes do Cruzeiro Wagner Pires de Sá, Itair Machado e Sérgio Nonato, além de mais seis pessoas,sendo um ex-assessor de futebol do clube, três empresários, um ex-presidente do Ipatinga Futebol Clube e o pai de um atleta das categorias de base do Cruzeiro, Estevam Willlian, o Messinho. Com o avanço do pedido do MP de denúncia, todos envolvidos se tornaram réus e serão processados.

A investigação sobre os supostos crimes começou em 2019 com a Polícia Civil, que entregou um relatório ao MP, que por sua vez entendeu que havia graves indícios de crimes contra o Cruzeiro praticado pelos citados.

A Justiça mineira vai julgar possíveis crimes de lavagem de dinheiro, apropriação indébita, falsidade ideológica e formação de organização criminosa, que podem ter gerado um prejuízo de R$ 6,5 milhões aos cofres da Raposa.


Além do trio de dirigentes, estão implicados no processo os empresários Wagner Cruz, Carlinhos Sabiá e Cristiano Richard, Christiano Polastri Araújo (ex-presidente do Ipatinga), Fabrício Visacro (ex-assessor de futebol), e Ivo Gonçalves, pai de Estevão William, de 12 anos,o Messinho.

Este processo é uma parte das investigações, que ainda podem render novas denúncias e por consequência outros processos judiciais.

Confira abaixo um resumo das denúncias para cada ex-membro do clube

- Wagner Pires de Sá foi denunciado pelos crimes de falsidade ideológica, apropriação indébita e formação de organização criminosa;
-Itair Machado foi impicado em lavagem de dinheiro, apropriação indébita, falsidade ideológica e formação de organização criminosa;
-O ex-diretor-geral Sérgio Nonato vai responder por integrar organização criminosa e por apropriação indébita;
-Os empresários citados no inquérito são acusados de integrar organização criminosa e de apropriação indébita, além de outro processo por lavagem de dinheiro.
-O pai de Messsinho, das categorias de base do Cruzeiro, responderá pelo crime de falsidade ideológica;
-O ex-presidente do Ipatinga foi denunciado por lavagem de dinheiro;
-O ex-assessor do Cruzeiro responderá por apropriação indébita.