Junior Urso, do Corinthians, chora ao falar sobre racismo

LUCIANO TRINDADE
Folhapress
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO (SP), 06.11.2019 - Futebol / Corinthians x Fortaleza - Junior Urso, durante partida entre Corinthians e Fortaleza, válida pela 31a rodada do Campeonato Brasileiro 2019, realizada na Arena Corinthians, nesta quarta-feira (06). (Foto: Gero Rodrigues/Ofotográfico/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO (SP), 06.11.2019 - Futebol / Corinthians x Fortaleza - Junior Urso, durante partida entre Corinthians e Fortaleza, válida pela 31a rodada do Campeonato Brasileiro 2019, realizada na Arena Corinthians, nesta quarta-feira (06). (Foto: Gero Rodrigues/Ofotográfico/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - No Dia da Consciência Negra, o Corinthians divulgou nesta quarta-feira (20) um vídeo no qual o volante Júnior Urso, 30, conta ter sido vítima de ofensas racistas enquanto atuava no futebol chinês.

Antes de vestir a camisa do time alvinegro, o atleta defendeu o Guangzhou, entre 2017 e 2019, e o Shandong Luneng, entre 2014 e 2016, mas não especificou em qual deles ele estava quando foi vítima de preconceito.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

"[Durante uma partida] teve um lance em que um jogador deles [adversário não especificado] fez uma falta em mim, eu caí no chão, ele chegou e disse: 'levanta macaco'", contou Urso, que chorou durante o vídeo. "Naquele momento, comecei a gritar para a chamar a atenção do árbitro", acrescenta.

Segundo o atleta, após a partida, ele solicitou ao clube que defendia que medidas fossem tomadas contra o jogador adversário. Ele queria ter acesso as imagens do jogo. "Mas tem muita burocracia para que isso aconteça e acabaram que sumiram com as imagens", reclama.

Bastante emocionado, ele falou ainda o que sentiu após ser chamado de macaco. "É algo que atinge muito forte o nosso peito. A gente acha que é algo que não vai nos abalar, mas é algo que não dá para explicar. É uma dor diferente de todas as outras dores, é diferente de um machucado, é diferente de uma derrota."

Outros atletas do Corinthians, como Suellen, lateral do time feminino de futebol, e o americano Kyle Fuller, do basquete, também relatam histórias de racismo no vídeo. 

Em um determinado momento, a entrevistadora do clube diz aos atletas que vai lhes dizer expressões de cunho racista para que eles reajam da forma como quiserem.

Ao ouvir novamente a frase "você é um macaco", Urso chora. "Eu não sou um macaco. Eu sou igual a você, igual aos outros meninos que estão aqui na sala."

A reação de Fuller é de raiva. "Você não gosta de mim por causa da cor da minha pele? Foda-se."

Leia também