Juninho Paulista tranquiliza sobre casos de gripe na Seleção Brasileira

Juninho Paulista está próximo de deixar a Seleção Brasileira (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)


A Seleção Brasileira passou por alguns casos de gripe dentro do grupo que está no Qatar para a disputa da Copa do Mundo. Antony, Paquetá e, mais recentemente, Neymar foram aqueles que tiveram seus casos tornados públicos. No entanto, essa questão abriu a desconfiança sobre o que estaria acontecendo para esse pequeno "surto". Nesta terça-feira, isso começou a ser elucidado de forma mais clara pela comissão técnica.

+ Próximos jogos do Brasil na Copa do Mundo: veja datas, horários e onde assistir

Em entrevista coletiva, membros do estafe da Seleção falaram com os jornalistas nesta manhã (horário de Brasília). Os sintomas gripais de alguns atletas - que foram divulgados nos últimos dias - vieram à tona entre os assuntos. Acontece que César Sampaio, por exemplo, não tinha muitas informações para passar para a imprensa naquele momento.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.


- O Rodrigo Lasmar, que avalia diariamente os atletas, tem nos dado todos os feedbacks. Trabalhamos em cima dessas informações. Tivemos alguns casos de virose, como o Antony, mas os médicos acharam normal, coisa de adaptação, os médicos não viram problemas em ele jogar. Não consigo aprofundar mais, trabalhamos com os atletas que estão disponíveis - disse Sampaio antes de completar:

- São atletas que não estiveram presentes pela avaliação da junta médica, trabalhamos com essas informações. Eles estando à disposição e em boas condições, são jogadores que contribuem - garantiu o ex-volante.

+ Comissão técnica da Seleção confia na volta de Neymar e indica mudanças no time

Notando que o colega de comissão estava um pouco mais enrolado no tema, Juninho Paulista, coordenador da Seleção Brasileira, tomou a palavra e tratou de tranquilizar não apenas Sampaio, mas também aqueles que ficaram preocupados com a situação. Segundo o ex-meia, os casos não estiveram nem perto de ser passíveis de teste.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.


- O Lasmar é nosso porta-voz nessa questão de saúde, ele falaria amanhã, mas pedi para ele falar hoje para trazer essas informações. Deixei o Cesar falar, escorrer o suor para dar essa informação (risos). Só adiantando que na avaliação médica não passou nem perto de fazer esse tipo de teste - afirmou o dirigente.

+ Seleção vê 'reservas' acirrarem briga por vaga e pode ter mudanças contra Camarões

O Brasil terá três dias de treinos antes de enfrentar Camarões, na próxima sexta-feira, às 16h (de Brasília), pela última rodada da fase de grupos da Copa do Mundo do Qatar. Já classificada para as oitavas, a Seleção precisa de um empate para ser primeiro da chave.