Jungle Fight 107: Quemuel Ottoni garante cinturão dos meio-médios no Brasil e responde a mensagem de Alex Poatan

Quemuel celebrou o título em família (Foto: Leonardo Fabri)


Deu Brasil no duelo contra os Estados Unidos na luta principal do Jungle Fight 107, realizado nesse domingo em São Paulo-SP. Com uma atuação segura, Quemuel Ottoni castigou o sempre raçudo José "Suavecito" com combinações em pé e, no terceiro round, definiu o confronto no chão, com um mata-leão.

Foi a sexta vitória do atleta da equipe Família Komodo no Jungle Fight, a segunda por finalização - as outras quatro foram por nocaute. Ao receber o cinturão, Quemuel fez questão de agradecer ao pai, Gilberto Douglas Ottoni, e responder a uma mensagem que recebeu de Alex Poatan nas redes sociais.

"Alex Poatan, que está no UFC, me mandou uma mensagem no privado dizendo que eu não passaria de um lutador do Jungle. Hoje eu sou campeão. E não esqueça que foi no canto deste ringue que eu te finalizei", disse o novo campeão do maior evento de MMA da América Latina para delírio do público presente no ginásio.

Os dois se enfrentaram no Jungle Fight 82, em 2015. Após dois rounds de
batalha em pé, com chances de vitória para ambos os lados, Quemuel pegou Poatan com um mata-leão para definir o combate. Aquela, até hoje, é a única derrota do astro do kickboxing no MMA.

A família Ottoni foi o principal destaque do Jungle Fight 107, e só não levou dois cinturões para a casa porque Kelly Ottoni, irmã de Quemuel, ultrapassou em 500 gramas o limite da categoria dos galos (61 kg). Por isso, a grande vitória por finalização sobre Yana Gadelha não foi o suficiente para que ela conquistasse o título.

Foi uma luta bastante dinâmica. Com um jiu-jitsu bastante hábil, Yana Gadelha dominou a maior parte do tempo, mas acabou caindo em uma guilhotina inapelável de Kelly Ottoni no segundo round. Devido a esse contexto, Wallid Ismail garantiu uma revanche valendo o cinturão já na próxima edição do Jungle Fight.

"Isso é Jungle Fight. Jungle Fight é 'porrada'. Eu não aceito lutador que amarra. O lutador que amarra não pode ganhar nunca. O Jungle Fight é o que o Quemuel, o 'Suavecito', a Kelly e a Yana fizeram hoje. Estou muito contente e orgulhoso pelo que esses guerreiros fizeram hoje", exaltou Wallid Ismail.

Confira abaixo os resultados do evento:

Jungle Fight 107
São Paulo, SP
1º de maio de 2022


Quemuel Ottoni finalizou José "Suavecito" com um mata-leão aos 2:40 do R3

Kelly Ottoni finalizou Yana Gadelha com uma guilhotina aos 2:51 do R2

Deberson "The Prince” Batista e Alexsandro Cangaty empataram por decisão majoritária

Lucas Barros Coelho de Oliveira venceu John "Snake” por decisão dividida

Márcio "Ticoto" finalizou Tiago Terra Nova com uma guilhotina aos 3:41 do R1

João “The Future” Carvalho venceu Marral Kálaga "Vito” por decisão dividida

Lucas Rafael Ferraz dos Santos venceu Neemias Araújo Santana por decisão dividida

Vinicius Augusto Pires venceu Edson "Jabá" Lourenço por decisão unânime

Marcos Zinhani finalizou Lucas Campos com um mata-leão aos 4:33 do R2

Matheus da Silva Severino venceu Douglas “Puro Osso” por decisão unânime

Manoel "Maranhão” venceu Diogo “Pink” por decisão unânime

Jean Felipe "Pernalonga" finalizou Paulo Paixão com uma americana aos 2:03 do R2

Samuel Cassimiro venceu João Victor "Gladiador” por decisão unânime

Rafael Masague venceu Matheus Bahia por nocaute técnico aos 1:46 do R2

Kauê Vaz venceu Diego Rodrigues por nocaute técnico 4:02 do R2

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos