Juiz de jogo da Argentina já se envolveu com rede de prostituição

Slavko Vincic vai apitar a partida entre Argentina e Arábia Saudita na rodada de abertura da Copa. Foto: Andrea Staccioli/Insidefoto/LightRocket via Getty Images
Slavko Vincic vai apitar a partida entre Argentina e Arábia Saudita na rodada de abertura da Copa. Foto: Andrea Staccioli/Insidefoto/LightRocket via Getty Images

O árbitro que vai apitar o primeiro jogo da Argentina nesta terça-feira (22), diante da Arábia Saudita, tem um passado bastante particular. O esloveno Slavko Vincic, que também já dirigiu jogos da Liga dos Campeões, foi preso por suposta participação em uma rede de prostituição, associada ao tráfico de armas e drogas.

O jornal croata '24Slata' assegurou que o árbitro foi detido numa casa na localidade de Bijeljina (Bósnia e Hezergovina) juntamente com outras nove mulheres e 26 homens, assegurando que a polícia apreendeu cocaína e armas no local da detenção.

Leia também:

A trama policial era dirigida contra Tijana Maksimovic, acusada de prostituição e proxenetismo, segundo o mesmo jornal, e Vincic estaria utilizando os serviços de algumas das moças que esta investigada oferecia. Maksimovic foi detida enquanto tentava cruzar a fronteira ilegalmente pelo rio Drina.

No entanto, após ser questionado e avançar com a investigação, o árbitro foi liberado. Depois do ocorrido, o próprio Vincic garantiu que tudo foi um incidente. "Aceitei um convite para jantar e acho que foi um grande erro. Estava jantando em uma mesa com companhia quando a polícia entrou e aconteceu tudo que vocês viram. Não tenho conhecimento de nenhuma das pessoas que foram presas", afirmou o esloveno.

“A polícia nos prendeu, fomos testemunhas e quando perceberam que nem os conhecíamos, libertaram-nos”, revelou. O árbitro foi indicado pela FIFA para trabalhar nesta Copa do Mundo e junto com seus auxiliares, também eslovenos, Tomaz Klancnik e Andraz Kovacic , formarão o trio de arbitragem que comandará a partida de estreia dos argentinos marcada para terça-feira (22), às 7h00 (horário de Brasília).