Jucilei relembra episódio de Jô, e elogia postura de Rodrigo Caio

O episódio de fair play envolvendo o zagueiro Rodrigo Caio no clássico diante do Corinthians segue rendendo declarações no São Paulo. Nesta terça-feira, o volante Jucilei foi questionado sobre o assunto e relembrou um episódio envolvendo justamente o atacante Jô, em confronto entre a equipe alvinegra e o São Bento, pela primeira rodada do Campeonato Paulista, para explicar sua posição.

Perguntado se assumiria um pênalti inexistente nos minutos finais no duelo desta quarta-feira diante do Cruzeiro, em jogo da quarta fase da Copa do Brasil, Jucilei afirmou não saber qual seria sua reação, mas relembrou o caso envolvendo o atacante Jô.

“Não sei. Depende da emoção do jogo. Quando foi contra o São Bento o Jô não falou que não foi pênalti. Falou? Mas cada um tem uma reação. Depende do momento”, declarou.

O episódio aconteceu na vitória por 1 a 0 do Corinthians sobre o São Bento. Na ocasião, Jô foi derrubado por Pitty e sofreu o pênalti que resultou no gol do triunfo alvinegro, em cobrança convertida justamente por ele. Após o jogo, o atacante assumiu em entrevista na saída de campo que valorizou a queda para que o árbitro marcasse a infração.

Apesar da declaração, Jucilei fez questão de elogiar Rodrigo Caio pela atitude de assumir que Jô não havia dado um pisão no goleiro Renan Ribeiro, que resultaria em um cartão amarelo para o atacante corintiano.

“Assunto deliciado que ocorreu no jogo de domingo. Na minha opinião é um exemplo a ser seguido na vida e no futebol. Foi no momento de emoção que ele falou. Isto é de cada um. No momento ele teve esta reação. Vida que segue”, afirmou.

Jucilei, porém, admitiu que não sabe qual seria sua reação no calor do jogo. “Depende muito. Não posso dizer agora, de cabeça fria. Na hora ali eu não sei o que faria”, completou.

O São Paulo volta a campo na próxima quarta-feira, às 21h45(de Brasília), em um confronto decisivo. O Tricolor vai ao Mineirão enfrentar o Cruzeiro, no jogo de volta da quarta fase da Copa do Brasil, e precisa de uma vitória por três gols de diferença para sacramentar a classificação. A vaga também viria em triunfos por dois tentos de diferença, mas somente caso vença por no mínimo 3 a 1. O placar de 2 a 0 para a equipe paulista leva a disputa para os pênaltis.

*especial para a Gazeta Esportiva