Juanfran nega torcida por rival: 'Time grande pensa em si mesmo'

Juanfran concedeu entrevista coletiva nesta quarta-feira, no CT da Barra Funda (Foto: Fellipe Lucena/Lancepress)
Juanfran concedeu entrevista coletiva nesta quarta-feira, no CT da Barra Funda (Foto: Fellipe Lucena/Lancepress)


O São Paulo treinou na manhã desta quarta-feira em preparação para enfrentar o Ceará. Após as atividades, Juanfran foi escolhido para conceder entrevista coletiva aos jornalistas presentes. O espanhol, que foi titular diante do Santos, no último sábado, falou sobre diversos assuntos, como a falta de títulos, a pressão da torcida, Daniel Alves e uma possível torcida pelo Flamengo.

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão clicando aqui

A pergunta em relação ao rival carioca, que disputa a final da Libertadores, neste sábado, contra o River Plate, se deu por conta da possibilidade de abertura de uma vaga a mais para a competição continental, ou seja, o G4 viraria G5, e o G7 viraria G8. Assim, o Tricolor seria um dos principais interessados, mas nem por isso Juanfran torcerá pelo Rubro-Negro.

- Não podemos torcer para o Flamengo, apesar de ter parceiros como o Filipe Luís, de quem gosto muito, e Diego, com quem joguei e tenho respeito, mas não podemos torcer, nós temos que pensar em vencer o Ceará. Um time grande pensa em si mesmo, não pensa nos demais e nós somos um time grande - declarou o camisa 20.






Tchê Tchê, que concedeu entrevista após o companheiro, desconversou sobre a torcida pelo Flamengo, mas afirmou pensar apenas no São Paulo, que é a situação que ele e e o grupo podem controlar no campeonato.

- Tem coisas que a gente não controla, a gente tem que focar aqui no nosso clube, tentar ganhar o próximo jogo, o próximo jogo que vem na sequência, que vai ser o mais importante depois do Ceará, e esse tipo de coisa é externo, não controla e nem tem que pensar nisso. Isso a gente não controla, tem que pensar aqui no São Paulo - afirmou o meio-campista.

Recém-chegado ao São Paulo e vindo da Europa, Juanfran tem encarado um dia a dia diferente daquele do Atlético de Madrid, com protesto de torcedores, pressão interna e externa, entre outros acontecimentos atípicos, no entanto ele tem encarado com normalidade essa novidades e foca no trabalho.

- É uma pressão que temos que lidar com boa cabeça e sabendo que é a realidade de hoje em dia aqui no São Paulo, é normal, nossa torcida quer ganhar, é um clube vencedor, um clube histórico, um clube que ganhou muitos títulos e que está há muitos anos sem ganhar, é normal, mas a pressão nós temos que levar de uma forma que é trabalhar, trabalhar e trabalhar, para ganhar, ganhar e ganhar, e vamos conseguir, vamos focar e ter melhores resultados - ponderou o lateral, antes de complementar:

- São Paulo e Atlético de Madrid são torcidas exigentes, que quando não ganha, cobram, é algo normal, mas nós temos que nos cobrar entre nós e saber que nossa torcida quer mais, precisa de mais. Nós temos que transmitir essa energia dentro de campo. Agora contra o Santos nós fizemos um bom jogo, transmitimos boas sensações e queremos repetir esse bom jogo e essas boas sensações contra o Ceará - prometeu.

Por fim, o espanhol também foi perguntado sobre o incômodo de não ganhar títulos e admite que isso é algo presente para ele para os companheiros, mas promete que isso vai melhorar em breve.

- (Incômodo por falta de títulos?) De um a dez? Onze, porque eu sou um ganhador, venho de times vencedores, com histórias vencedoras, quando você não ganha, fica uma coisa dentro de nós que incomoda, incomoda a torcida, incomoda o clube, incomoda todo mundo, mas isso vai melhorar e vai mudar.

Confira outros trechos da entrevista de Juanfran:

Motivação de Daniel Alves


Dani está motivado, está com muita vontade, como todo o time, que quer ganhar, quer fazer as coisas bem feitas, de querer ser importante, entrar para a história do São Paulo e para isso tem que ganhar um título, mas neste ano estamos longe e teremos que ganhar todos os jogos que restam até o final para no ano que vem poder ganhar títulos e ser mais forte do que neste ano.

São Paulo: obrigação de estar entre os melhores
É uma obrigação e uma realidade que o São Paulo tem que ficar entre os melhores sempre, se não ficar entre os melhores, quer dizer que as coisas não vão bem. Nós temos a responsabilidade de ir até o Ceará e ganhar, apesar de termos um respeito muito grande pelo Ceará, a gente tem que ganhar e eu estou seguro de que vamos melhorar.

Daniel Alves feliz no São Paulo?
Jogador grande joga bem em qualquer lugar, se ele está com vontade de seguir jogando aí, vai querer demonstrar jogando aí, qualquer jogador do time quer jogar, todos querem jogar, todos estamos para competir, temos uma competição boa, com grandes jogadores, mas ele está feliz de estar no São Paulo, independentemente da posição em que ele joga.


















Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também