José Mourinho mostra arrependimento por como tratou Schweinsteiger

Desde a chegada de Jose Mourinho no Manchester United, Bastian Schweinsteiger não teve espaço e demorou para conseguir jogar. Na primeira parte da temporada o meio-campista alemão pisou em campo apenas uma vez no final de novembro e, antes de ir para o Chicago Fire, ele faria mais três jogos, terminando sua temporada 2016/17 na Europa com apenas quatro partidas, um gol e uma assistência.

O treinador português, que chegou a colocar o jogador de 32 anos na equipe sub-23 e não o inscreveu para a Liga Europa, falou sobre a relação com Schweinsteiger e se mostrou arrependido pelo como ele tratou o meia campeão do mundo em 2014.

“A última coisa que disse para ele foi: ‘nunca agi bem com você, mas agora tenho que fazer isso’. Quando ele me pediu para sair, tive que dizer que sim. Tenho pena de como as coisas aconteceram na primeira metade da temporada. Ele sabe disso. Vou sentir saudades dele. É um bom homem. Uma boa influência nos treinos e provavelmente precisaríamos dele, mas tive que deixar ele sair. Impedi ele de sair uma vez, não ia impedir uma segunda”, disse Mourinho.

Leia mais:

Mourinho descarta contratação de Neymar: “É tentar arrombar um cofre”

Ídolos do United chegam a São Paulo para tardes de autógrafos

Quando perguntado o que faria diferente, o comandante dos Red Devils foi claro e explicou porque o alemão não teve espaço na sua equipe. “Deixaria ele fazer parte do elenco. Na altura tínhamos muitos jogadores, muitos em situações questionáveis. Anda tínhamos Schneiderlin (vendido para o Everton) e Depay (vendido para o Lyon). Era um elenco enorme. Eu me arrependo e não tenho nenhum problema de admitir isso”.

Em sua longa carreira, Schweinsteiger marcou 72 gols e fez 103 assistências em 571 partidas. Além disso, ele venceu oito vezes o Campeonato Alemão, uma Liga dos Campeões, uma Copa do Mundo e algumas copas locais. Pelo Manchester United, ele ganhou a Super Copa da Inglaterra e a Copa da Inglaterra.