José Belarmino e Fernanda Palma vencem o Ironman 70.3 São Paulo

Iúri Totti
LANCE!
José Belarmino vibra com a vitória no Ironman 70.3 São Paulo. (Fábio Falconi/Unlimited Sports)
José Belarmino vibra com a vitória no Ironman 70.3 São Paulo. (Fábio Falconi/Unlimited Sports)


Os triatletas paulistas José Belarmino e Fernanda Palma venceram, neste domingo (10/11), a primeira edição do Ironman 70.3 São Paulo, disputado na Cidade Universitária, em São Paulo. Belarmino completou os 1,9km de natação, 90km de ciclismo e 21km de corrida em 3h53m08s, seu recorde pessoal. Já Fernanda concluiu em 4h24m21s.

A prova em São Paulo fechou as cinco etapas do Circuito Ironman 70.3 no país, que reuniu um total de 1.600 triatletas de 14 países.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

No masculino, o segundo lugar foi de Daniel Ruman Rodrigues, com 4h02m24s, seguido por Rafael Falsarella, com 4h02m45s. No feminino. a vice-campeã foi Paula Ponte Moreira, com 4h31m47s. Em terceiro ficou Marina Jacob, com 4h37m35s.

Essa foi a terceira vitória de José Belarmino no Circuito. Depois de vencer as etapas de Maceió e Rio de Janeiro, e de ter sido vice-campeão em Fortaleza, o triatleta concluiu a temporada com uma conquista em casa, tornando-se o primeiro campeão do Ironman 70.3 São Paulo.

- O antes da prova foi o mais difícil para mim, pois é muita pressão ser o favorito. Tive que trabalhar bastante a ansiedade - afirmou o campeão. - Competir em casa, nadar na raia da USP é bom demais. E contar com o apoio da torcida, dos meus pais, que dificilmente conseguem acompanhar minhas provas, foi demais.

Sobre a prova, Belarmino considerou muito técnica:

- Na natação, busquei manter o bom ritmo. Não fui o primeiro a sair da água, mas soube administrar, para estar entre os primeiros. No ciclismo, foi tranquilo, liderei a partir de Km 45, por cerca de 15 quilômetros, e depois outros concorrentes chegaram, e revezamos na ponta. Mas aí veio a corrida, e quando eu coloquei os pés no chão sabia que tinha muitas chances. Fiquei grande parte do percurso na liderança e abri boa distância. E,no final, ver o pessoal me incentivando foi muito bom e tive que focar para não me emocionar - contou o campeão.

Fernanda Palma também também estava feliz pelo conquista em casa:

- É muito bom ter um evento de grandes distâncias em São Paulo, cidade que mais mandou atleta ao Mundial do Havaí, no mês passado. Estou muito feliz em ser a primeira vencedora de uma baita prova como essa.

Para a campeã, a prova ser totalmente plana aumenta o desgaste dos triatletas.

- As pessoas acham que prova plana é mais fácil. Porém, como ela é rápida, não há descanso. Você está sempre forçando, andando forte - avalia Fernanda. - Fiz uma boa natação, mas no ciclismo tive um problema no eixo da bicicleta na Ponte Estaiada. Perdi uns três minutos tentando resolver. Quando solucionei, fui buscar o tempo perdido. Sem contar que é uma prova gostosa, a temperatura estava boa e pedalar na Marginal Pinheiros, onde passamos de carro a 90km/h, é um prazer, porque podemos olhar a cidade de um jeito diferente. Na corrida, comecei com câimbra, mas aos poucos fui alongando, tomando água, e passou. E aí eu voltei a forçar o ritmo. Estou muito feliz.


Leia também