Jornalistas apontam que Valdívia foi mais ídolo do Palmeiras do que Tevez no Corinthians: 'Carregava o time'

LANCE!
·2 minuto de leitura


Ídolos de Palmeiras e Corinthians, os estrangeiros Valdívia e Tevez tiveram suas idolatrias comparadas no programa da "Bate-Bola Debate", da ESPN, nesta terça-feira. De acordo com os jornalistas presentes no levantamento, o chileno Valdívia construiu uma maior identificação com a torcida alviverde do que o argentino Tevez com os alvinegros.
+ Confira a classificação do Campeonato Paulista

Os comentaristas analisaram também a performance técnica dos dois. Sobre quem foi melhor dentro de campo, a bancada se dividiu em opiniões.

- Entre um e outro, eu acho que o Tevez jogou mais, mas, em termos de idolatria, acho que o Valdívia tem mais palmeirenses que são viúvas dele do que o Tevez tem corintianos que são viúvas dele - disse Celso Unzelte.

- O Valdívia teve aquela identificação maior com o Palmeiras, porque ele era um jogador muito provocativo, insinuante. Ele levava o time nas costas. Ele passava do extracampo, ele fazia aquela magia com o torcedor. Isso, para idolatria, pesa muito - completou Ivana Negrão.

Em questões de títulos, o chileno conquistou pelo Palmeiras o Campeonato Paulista de 2008, a Copa do Brasil de 2012 e a Série B do Brasileirão de 2013. Já Tevez, pelo Corinthians, esteve presente e foi destaque na conquista do Brasileiro de 2005. Eleito craque da competição, o argentino que hoje defende o Boca Juniors marcou 20 gols e foi o artilheiro do time no campeonato.

- Eu acho que o Valdívia jogou mais que o Tevez. No Palmeiras, o Valdívia jogou mais que o Tevez. O Valdívia jogava com quem? Ele carregava o time nas costas. O Valdívia salvou o Palmeiras de rebaixamento. O Valdívia jogou machucado no Palmeiras. Valdívia fez barulho no Palmeiras. Eu acho que o Valdívia jogou mais que o Tevez. Não estou negando a qualidade do Tevez, acho que é um baita jogador, mas o Valdivia, no futebol brasileiro, jogou mais, produziu mais - comentou Osvaldo Pascoal.

- O Valdívia é mais habilidoso, porém o Tevez é mais participativo. É um cara mais prático e decisivo em jogos. A diferença dos dois e essa. Se eu tivesse que escolher no auge dos dois, eu iria com Carlos Tevez. É um cara que teve uma carreira muito mais proativa que a do Valdívia. (...) Ninguém nesse passado recente do Corinthians representou tanto o espírito corintiano como o Tevez em campo. Raçudo, jogador que veio de baixo, que brigava, fazia gol, um cara que nunca sentiu pressão para nada. Esse é um corintiano nato, mas ele nunca quis ser esse corintiano. Então ele foi um jogador de futebol identificado - concluiu Felipe Fancicani.

Atualmente defendendo o Union La Calera, do Chile, Valdívia enfrenta o Flamengo hoje, às 19:15, no Maracanã, pelo Grupo G da Copa Libertadores.

Mais tarde, às 21h30 (de Brasíla) o Boca Juniors de Tevez recebe o Santos em La Bombonera, também pela competição continental.