Jornalista tem celular confiscado por segurar bandeira de Pernambuco no Qatar

Jornalista Victor Pereira relatou a situação nas redes sociais (Reprodução/Twitter)


O jornalista brasileiro Victor Pereira, que está no Qatar para a cobertura da Copa do Mundo, foi abordado por um policial e organizadores do evento por segurar uma bandeira de Pernambuco. O arco-íris presente no estandarte do estado brasileiro foi confundido com a bandeira LGBTQIAP+ pelos homens.

+ “Um golpe Mundial”: Veja a repercussão da derrota da Argentina na imprensa internacional

Em vídeo publicado em seu perfil no Twitter, Victor estava muito inquieto e relatou a situação vivida.

- Estou nervoso aqui, estou tremendo. A gente estava com a bandeira de Pernambuco e fui atacado por alguns integrantes aqui do Qatar e policiais, eles vieram para cima achando que era uma bandeira LGBT. Fui filmar, eles pegaram meu telefone e só devolveram me obrigando a deletar o vídeo que eu fiz. Eu só consegui meu celular de volta porque deletei. Isso é um absurdo, a gente tem autorização da Fifa para filmar absolutamente tudo no estádio - contou.

+ Jornalista relata que foi detido em estádio no Qatar por vestir camisa com arco-íris

O brasileiro também compartilhou um vídeo, gravado por outra pessoa, onde é possível ver a abordagem dos homens. Em inglês, Victor conta que é um jornalista e repete "eu vou te mostrar".

+ Narradora alemã transmite jogo da Copa vestindo camisa e braçadeira com as cores do arco-íris

A homossexualidade é considerada um crime no Qatar. Algumas pessoas, de diferentes lugares, presentes no país têm feito protestos em defesa da causa LGBTQIA+. O jogador Harry Kane, da Inglaterra, pretendia utilizar uma braçadeira de capitão com a bandeira da comunidade, mas foi barrado pela Fifa.