Jornalista norte-americano diz que foi detido na Copa do Mundo por camiseta com arco-íris

Estádio da partida EUA e País de Gales

DOHA (Reuters) - Um jornalista dos Estados Unidos contou que foi detido brevemente nesta segunda-feira quando tentou entrar em um estádio da Copa do Mundo no Catar usando uma camiseta com as cores do arco-íris, em apoio à comunidade LGBTQ, no país onde relações entre pessoas do mesmo sexo são ilegais.

Grant Wahl, ex-jornalista da revista Sports Illustrated e que hoje tem seu próprio website, disse que a segurança da Copa do Mundo impediu sua entrada na partida entre Estados Unidos e País de Gales no Estádio Ahmad Bin Ali, em Al Rayyan, e pediu que ele tirasse a camisa.

Ele disse que seu celular foi retirado quando tuitou sobre o incidente.

"Estou bem, mas foi um tormento desnecessário", escreveu Wahl no Twitter.

Ele disse que um comandante da segurança depois o abordou, pediu desculpas e permitiu que ele entrasse no estádio. Ele também disse que recebeu um pedido de desculpas de um representante da Fifa, a entidade que comanda o futebol mundial.

A Reuters entrou em contato com a Fifa pedindo um comentário.

Sete países europeus que disputam a Copa do Mundo abandonaram os planos para que seus capitães utilizassem braçadeiras do movimento "One Love", após a Fifa ameaçar punir com cartão amarelo qualquer jogador que usasse a braçadeira colorida, que foi introduzida para apoiar a diversidade e a inclusão.

(Reportagem da Reuters)