Jornalista assassinado no Mato Grosso avisou a família que estava sendo ameaçado

·1 minuto de leitura
Edney Menezes havia avisado irmão que estava sendo ameaçado (Foto: Reprodução/Facebook)
Edney Menezes havia avisado irmão que estava sendo ameaçado (Foto: Reprodução/Facebook)

Edney Menezes, jornalista de 44 anos assinado à tiros no último domingo, já havia avisado a família que estava sendo ameaçado. A informação foi revelada pelo portal G1.

O crime aconteceu no Centro de Peixoto de Azevedo, em Mato Grosso, cidade a 692 km de Cuiabá. Imagens registradas por câmeras de segurança mostraram que Edney Menezes foi morto com tiros na cabeça, disparados por dois homens em uma moto.

Até o momento, ninguém foi preso. Segundo o G1, horas antes de ser assassinado, o jornalista havia comemorado o resultado da eleição municipal nas redes sociais. No entanto, a Polícia Civil descarta que a motivação seja política. As imagens do crime estão sendo analisadas.

Leia também

Edney trabalhava na campanha do prefeito reeleito de Peixoto de Azevedo, Maurício Ferreira (PSD). A irmã do jornalista, Maria do Socorro Menezes, revelou ao G1 que ele havia relatado ameaças. “Ele falou que estava sendo ameaçado, mas não dizia por quem. Estava feliz. Trabalhando na campanha, mas tentava tirar porte de arma, já prevendo o que ia acontecer. Ele disse que ia morrer”, disse ao G1.

Depois de Edney ser baleado, moradores da região chamaram a política. Quando a PM chegou, o jornalista já estava morto. Os pertences dele, como celular, foram deixados no local.