Jornal francês denuncia possível corrupção na escolha do Rio 2016

Gazeta Press
<em>A escolha da capital carioca para receber as Olimpíadas foi tomada no dia 2 de outubro de 2009. (Foto: AP)</em>
A escolha da capital carioca para receber as Olimpíadas foi tomada no dia 2 de outubro de 2009. (Foto: AP)

Nesta sexta-feira, o jornal francês Le Monde publicou uma denúncia de corrupção, que revela uma suposta compra de votos para que o Rio de Janeiro fosse eleito sede dos Jogos de 2016. A escolha da capital carioca para receber as Olimpíadas foi tomada no dia 2 de outubro de 2009.

Na matéria, o periódico francês destaca que três dias antes do anúncio oficial do Rio de Janeiro como sede dos Jogos de 2016, Papa Diack, filho de Lamine Diack, que na época presidia a Iaaf (Associação Internacional de Federações de Atletismo) e era membro do Comitê Olímpico Internacional (COI), recebeu propina.

Vale destacar que tanto Papa quanto Lamine foram banidos do esporte após estarem envolvidos em escândalos de corrupção e doping relacionados ao atletismo da Rússia.

Assim, no dia 29 de setembro de 2009, Papa Diack recebeu um milhão e meio de dólares (atualmente, 4,7 milhões de reais) para a compra de votos a fim de que o Rio vencesse a eleição do COI. O responsável pelo envio do dinheiro teria sido o empresário brasileiro Arthur Cesar de Menezes Soares Filho, que teria transferido a quantia através da empresa Matlock Capital Group.

O Le Monde ainda destaca que uma investigação a respeito da compra de votos de membros do COI foi inciada em dezembro de 2015 por um procurador financeiro da França, que já estava investigando suspeitas de corrupção na Iaaf.

Leia também