Jornal argentino culpa polícia por morte no jogo do Boca Juniors


O jornal "Olé" classificou a polícia argentina como assassina em sua capa após a tragédia que tirou a vida de um torcedor durante o jogo da Superliga entre Gimnasia e Boca Juniors. A publicação condenou a repressão das forças de segurança contra o público presente no estádio.

Enquanto as autoridades políticas de Buenos Aires culpam os conflitos por conta da superlotação do estádio, o presidente do Gimnasia negou as acusações. Gabriel Pellegrino também culpou a polícia pelo ocorrido.

- Nosso estádio está habilitado para receber tantas pessoas. Tínhamos a possibilidade de vender 3500 (ingressos) e terminamos vendendo 3.254. É mentira que houve sobrevenda. A responsabilidade é das forças de segurança.

Nas redes sociais, o Olé também publicou vídeos gravados por torcedores. Em um deles, é possível ver a ação dos policiais jogando bombas de gás lacrimogêneo dentro do estádio, o que fez com que grande parte do público invadisse o estádio para se livrar da situação.

Capa do Olé
Capa do Olé

Jornal Olé classifica polícia como assassina (Reprodução / Olé)