Jon Jones vence Rashad Evans e mantém o título dos meio-pesados

Confirmando o favoritismo, Jon Jones venceu Rashad Evans e manteve o título dos pesos meio-pesados do Ultimate (categoria até 93 kg), no UFC 145, nesta noite de sábado (21). Bones triunfou por decisão unânime dos juízes, em um combate em que ele controlou por completo. O campeão igualou Frank Shamrock, Tito Ortiz e Chuck Liddell, os únicos que conseguiram defender com sucesso o cinturão da divisão por três vezes.

Como de costume, Jones controlou a distância com sua longa envergadura e golpeou o rival com o vasto repertório de chutes, socos, cotoveladas e joelhadas. Rashad veio com uma estratégia de manter a luta em pé e vencer o rival na trocação. Porém, em nenhum momento pareceu levar perigo ao campeão, com exceção de um chute acertado na cabeça de Bones no final do primeiro round.

Os outros cinco confrontos do card principal deram mais emoção ao evento. No menos movimentado, pelo peso leve (divisão até 70 kg), o canadense Mark Bocek venceu o compatriota John Alessio. Bocek quedou o rival round após round e se manteve dominante em todas as posições do jogo de chão.

Na segunda luta, o peso pena (categoria até 66 kg) havaiano Eddie Yagin venceu o canadense Mark Hominick por decisão dividida dos juízes. Yagin surpreendeu e conseguiu dar dois knockdowns no adversário, no primeiro e no segundo round. Hominick mostrou raça e se saiu melhor no terceiro assalto, mas não foi o suficiente para virar o jogo.

Com um desempenho impressionante, o peso galo (divisão até 61 kg) Michael McDonald atropelou o veterano Miguel Torres, ex-campeão da categoria no WEC. O jovem de 21 anos nocauteou o oponente com apenas três minutos e 18 segundos de luta, após acertar um upper muito potente em Torres. McDonald já vinha dominando o confronto, acertando fortes combinações de socos.

O combate seguinte rendeu um nocaute do peso pesado (divisão até 120 kg) Ben Rothwell sobre Brendan Schaub. O vencedor da luta reverteu um cenário muito desfavorável, chegando a praticamente estar nocauteado em pé. Porém, Big Ben provou mais uma vez que Schaub tem uma absorção de golpes muito ruim e acertou um cruzado de esquerda para derrubar o rival. Rothwell acertou mais alguns socos no oponente caído, até o árbitro interromper depois de apenas um minuto e dez segundos do início.

Na penúltima luta da noite, o meio-médio canadense Rory MacDonald não tomou conhecimento do inglês Che Mills. Rory, pupilo do compatriota Georges Saint-Pierre, teve um desempenho praticamente igual nos dois assaltos. Ele derrubava, passava a guarda e castigava o rival sem piedade. Aos dois minutos e 20 segundos do segundo assalto a luta foi interrompida, pois o britânico já não estava mais se defendendo dos socos desferidos por MacDonald.

Card principal

Jon Jones venceu Rashad Evans por decisão unânime
Rory MacDonald venceu Che Mills por nocaute técnico
Ben Rothwell nocauteou Brendan Schaub
Michael McDonald nocauteou Miguel Torres
Eddie Yagin venceu Mark Hominick por decisão dividida
Mark Bocek venceu John Alessio por decisão unânime

Card preliminar
Travis Browne finalizou Chad Griggs (triângulo de mão)
Matt Brown venceu Stephen Thompson por decisão unânime
Anthony Njokuani venceu John Makdessi por decisão unânime
Mac Danzig venceu Efrain Escudero por decisão unânime
Chris Clements venceu Keith Wisniewski por decisão dividida
Marcus Brimage venceu Maximo Blanco  por decisão dividida