Joia do Palmeiras, Menino aponta ídolos no clube e sonha com Olimpíadas em 2021

Goal.com

Em meio a uma leva de jogadores das categorias de base do Palmeiras sendo aproveitados por Vanderlei Luxemburgo, um dos que mais se destaca é o volante Gabriel Menino. Assim como todo o elenco, ele aguarda pelo fim do isolamento social e a paralisação do futebol por conta da pandemia da Covid-19, e atendeu a reportagem da Goal para falar sobre esses primeiros meses no time profissional.

Tranquilo para as entrevistas e objetivo ao citar o que pretende alcançar na carreira, o jovem assegurou ter Felipe Melo como espelho e grande conselheiro no Verdão. "Ele fala que eu vou jogar na Seleção, na Europa. Me deixa confiante, sabe?", contou Menino.

Elogioso também a outros nomes consagrados do grupo de atletas, como Bruno Henrique, Dudu e Willian, ele assegurou que as Olimpíadas de Tóquio, adiadas para 2021, entraram no seu planejamento.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

"Tenho, sim, esse sonho. Já fui para a Seleção, mais um sonho realizado, só agradecer a Deus. Vou brigar, sim, para estar nas Olimpíadas", afirmou o atleta de 19 anos.

O papo, que você confere na íntegra abaixo, ainda revela os momentos de nervosismo antes de conhecer Luxemburgo, a ansiedade por entrar em campo e a parceria com os jovens que tentam buscar seu espaço no estrelado elenco palmeirense.

Gabriel-Menino-Felipe-Melo
Gabriel-Menino-Felipe-Melo
Foto: Divulgação / Agência Palmeiras

Goal: Gabriel, primeiro gostaria que você falasse sobre esses primeiros meses no profissional do Palmeiras. Como foi essa experiência até aqui, é algo muito diferente do que você imaginava quando estava na base?

Gabriel Menino: Ah, é um sonho realizado. Eu sempre digo para vocês que é um sonho realizado, na base eu batalhava muito, chegava lá para treinar (entre os profissionais) às vezes, quando precisava de uns moleques. Ficava olhando, imaginando que eu um dia podia estar lá. E hoje eu estou com eles, treinando com eles, jogando, só tenho a agradecer pela minha família porque está sendo maravilhoso. E tenho certeza que vai ser ainda mais.

Goal: Como foi seu contato com o Luxemburgo em um primeiro momento. Um cara multicampeão que te colocou para jogar de titular logo de cara, ficou nervoso?

Gabriel Menino: Fiquei nervoso, né (risos). Treinador espetacular, trabalhou na Europa, Seleção Brasileira, então fiquei, sim, um pouco nervoso. Mas, durante os treinos, jogos, ele me deixou confiante. Para confiar em mim, me deixou solto para jogar, agradeço muito a ele. Por ter confiança em mim, me deixou solto para fazer o que eu queria dentro de campo.

Goal: Você jogou os dois clássicos e um jogo de Libertadores fora de casa. Qual foi o momento que te deixou mais ansioso até aqui no Palmeiras?

Gabriel Menino: O mais ansioso foi o jogo contra o São Paulo, meu primeiro clássico. Dois dias antes, na concentração para viajar para Araraquara, eu estava me sentindo meio incomodado, sabe? Não passava o tempo, não chegava logo. Queria jogar, que tudo fosse bem. Acho que o jogo que me deixou mais ansioso foi esse primeiro clássico, contra o São Paulo.

Goal: O Felipe Melo teve uma grande carreira na sua posição, titular da Seleção, jogou Copa. Mas também atuou em várias funções no começo, até como ponta, meia. É alguém que você tem como espelho?

Gabriel Menino: Não tenho nem palavras para falar do Felipe Melo. É um espelho para mim, já disputou Copa, jogou na Europa. É um ídolo do Palmeiras. No jogo contra o Santos ele falou muito comigo. Falou que eu vou jogar na Europa, que eu vou ser jogador de time grande da Europa. Vou disputar Copa. Isso me deixa mais confiante, sabe? Dentro do clube e com ele, ele é um grande espelho para mim, sim.

Goal: Nos últimos anos, poucos jovens subiam para o profissional do Palmeiras. Hoje, porém, além de você tem o Patrick, o Wesley, o Veron. É importante ter essa molecada do seu lado?

Gabriel Menino: Sim, os moleques são meus parceiros desde a base. Estamos juntos há mais de três anos. A gente vem sempre treinando, batalhando. Para que vários outros tenham essa sensação de subir para o profissional, ficar, jogar com aquela camisa. Com esse manto maravilhoso, no Allianz Parque, com aquela torcida, é o sonho de qualquer garoto que joga no Palmeiras, em qualquer clube. Então tem Patrick, Veron, Wesley, Alan, esses moleques são como uma família. A gente passava mais tempo entre nós do que com a nossa própria família. É importante um estar ao lado do outro para deixar mais alegre, ter uma amizade mais próxima. Apoiar um ao outro.

Goal: As Olimpíadas foram adiadas para o ano que vem, te dando a chance de tentar brigar por um lugar na equipe. Acredita que é possível? Tem esse sonho?

Gabriel Menino: Tenho, sim, esse sonho. Já fui para a Seleção, mais um sonho realizado, só agradecer a Deus. Vou brigar, sim, para estar nas Olimpíadas. Igual você falou, é um sonho, sim, vou trabalhar para isso e muito mais.

Goal: Para fechar, quem é a sua principal referência nesse elenco do Palmeiras?

Gabriel Menino: Minha principal referência é o Willian, o Felipe e o Bruno. Olhava muito, esses caras são minhas referências. Dudu, que é um ídolo. Sou muito fã deles, trabalham, são ídolos, são sérios. Conversam como amigo, como ídolo, dão muitos conselhos. São minhas referências.

Leia também