Jogos de Tóquio não terão a presença de público em virtude da Covid-19

·2 minuto de leitura


A portas fechadas. É assim que acontecerão os Jogos Olímpicos, no Japão, entre julho e agosto. O Governo de Tóquio anunciou nesta quinta-feira que a capital nipônica entrará em novo estado de emergência em virtude do crescimento de casos da Covid-19. Com isso, os eventos não terão a presença de público nas arenas.

- Mostramos a responsabilidade de realizarmos Jogos seguros e protegidos desde o dia do adiamento. E também o mostraremos hoje, e apoiaremos qualquer medida que seja necessária para que os Jogos Olímpicos e Paralímpicos sejam seguros e protegidos para o povo japonês e todos os participantes - disse Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI).

Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI)
Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI)

Thomas Bach na chegada a Tóquio (Foto: EUGENE HOSHIKO/POOL/AFP)

Antes da decisão de Tamayo Marukawa, ministra das Olimpíadas, existia a expectativa para que os Jogos tivessem a liberação para 50% da capacidade dos estádios e arenas, com o limite máximo de 10 mil pessoas residentes do país. Torcedores foram vetados ainda em março, também em razão da pandemia.

O novo estado de emergência de Tóquio irá até o dia 22 de agosto, quando as Olimpíadas já terão terminado. Apesar de Tóquio não liberar a presença de torcedores, existe a chance de estádio em outras cidades receberem espectadores. O futebol, por exemplo, terá partidas disputadas em outras praças.

Nesta quinta-feira, Thomas Bach chegou a Tóquio, mas precisará cumprir uma quarentena obrigatória de três dias. Do quarto do hotel, o presidente do COI participa de reuniões virtuais, e após o confinamento o dirigente deverá visitar a Vila dos Atletas. O Comitê Olímpico Internacional também organiza uma visita de Bach a Hiroshima, cidade que foi devastada em ataques atômicos na Segunda Guerra Mundial.

Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI)
Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI)

Bach em reunião virtual junto com Seiko Hashimoto, presidente do Comitê Organizador (Foto: BEHROUZ MEHRI / POOL / AFP)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos