Jogos Olímpicos de Tóquio terão limite de 10 mil espectadores nas arenas

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·4 minuto de leitura
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
The National Stadium, the main venue for the Tokyo 2020 Olympic and Paralympic Games, is seen on the day marking 50 days to go for the Tokyo Olympic Games on June 3, 2021 in Tokyo, Japan. (Photo by Jinhee Lee/NurPhoto via Getty Images)
Estádio Nacional, o principal local dos Jogos (Jinhee Lee/NurPhoto via Getty Images)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Os Jogos Olímpicos de Tóquio terão o limite máximo de 10 mil espectadores por evento em cada uma das arenas, anunciou nesta segunda-feira (21) a organização. 

O megaevento tem sua cerimônia de abertura marcada para 23 de julho, após o inédito adiamento provocado pela pandemia de Covid-19 em 2020. Haverá, porém, um alerta para a possibilidade de competições com portões fechados em caso de aumento dos contágios da doença. 

Leia também:

No comunicado, os organizadores explicam que o limite será de 50% da capacidade do local de competição, até o máximo de 10 mil espectadores —a minoria das arenas chegará a esse patamar. O Estádio Olímpico, por exemplo, tem 68 mil lugares. Ainda não há uma definição sobre a liberação para a cerimônia de abertura. 

"Se houver uma mudança dramática na situação da infecção, talvez precisemos revisar a norma e considerar a opção de não ter espectadores nos locais de competição", disse a governadora de Tóquio, Yuriko Koike. 

A organização afirmou ainda que a decisão sobre o número de torcedores nos Jogos Paraolímpicos, de 24 agosto a 5 setembro, foi adiada para 16 de julho. 

Em março, o comitê organizador vetou a presença de espectadores procedentes do exterior devido ao risco de saúde considerado muito elevado, outro fato inédito na história olímpica. 

Nesta segunda-feira, as autoridades japonesas deveriam decidir sobre a celebração dos Jogos Olímpicos a portas fechadas ou com a presença de torcedores locais: a segunda opção foi a vitoriosa, mas com um número restrito de espectadores. 

A reunião teve a presença de representantes de cinco instituições: o comitê organizador de Tóquio-2020, o governo japonês, o governo de Tóquio, o Comitê Olímpico Internacional e o Comitê Paralímpico Internacional. 

A suspensão do estado de emergência no domingo (20) em Tóquio e em outras localidades foi um sinal positivo aos organizadores, que aguardavam a decisão do governo japonês para determinar se liberariam a presença de torcedores locais e, em caso positivo, quantos. 

O governo japonês decidiu manter algumas restrições pelo menos até 11 de julho, e o primeiro-ministro do país, Yoshihide Suga, advertiu que poderá reforçar as medidas se os casos de Covid-19 aumentarem e o sistema de saúde ficar sob pressão. 

O público será instruído a usar máscaras o tempo todo e não gritar, falar alto ou se aglomerar. As pessoas deverão sair de suas casas diretamente para os locais de competição e voltar para elas. 

Toshiro Muto, CEO do comitê organizador, afirmou que exigir um teste negativo de Covid-19 ou comprovante de vacinação para os espectadores seria problemático. Essa medida vem sendo adotada em jogos da Eurocopa e na final da Champions League, por exemplo. 

Como a carga de ingressos vendidos para residentes japoneses era de cerca de 4,5 milhões inicialmente (parte já havia sido devolvida após o adiamento, no ano passado), haverá um sorteio para determinar quem permanecerá com direito às entradas e quem terá que devolvê-las e receber reembolso (cerca de 910 mil). A expectativa de arrecadação original com essa fonte era de aproximadamente US$ 800 milhões (R$ 4 bilhões). 

Antes de a decisão pela liberação parcial de público ser tomada, alguns dos principais especialistas em saúde do Japão disseram que banir os espectadores seria a opção menos arriscada. 

"Seria preferível não ter público, do ponto de vista do controle de doenças infecciosas", afirmou à Reuters Haruka Sakamoto, médico e pesquisador da Universidade Keio, em Tóquio. "Estou preocupado não apenas com o aumento do número de pessoas que vêm assistir à Olimpíada, mas também com o afrouxamento do senso de urgência das pessoas por sediar a Olimpíada com espectadores." 

Segundo pesquisa da Kyodo News divulgada no último fim de semana, 86% dos japoneses estão preocupados com uma nova onda de surto de Covid-19 no país após a realização do megaevento. De acordo com o levantamento, 40% acreditam que os Jogos deveriam ser realizados sem espectadores e 31% que eles deveriam ser cancelados. 

A previsão do Comitê Olímpico Internacional é de que 80% dos ocupantes da Vila Olímpica —inaugurada neste domingo— estejam vacinados. No Japão, 7% da população está totalmente imunizada. O número de novos casos de coronavírus e mortes no país está em queda desde a metade de maio. A média dos últimos sete dias é de 1.449 casos diários e 52 mortes.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos