Jogo grávida, sucesso nas quadras e na areia... quem foi Isabel Salgado, ícone do vôlei brasileiro


Isabel Salgado, ícone do voleibol brasileiro, morreu nesta quarta-feira, aos 62 anos, vítima de Síndrome Aguda Respiratória do Adulto (SARA), segundo o 'Metrópoles'. Durante a carreira, ela se destacou no vôlei de quadra e disputou duas edições de Olimpíadas com a Seleção Brasileira. Posteriormente, ela trocou as quadras pelas praias e, na areia, foi medalhista em vários Mundiais.

+ Seleção Brasileira é a segunda mais valiosa da Copa do Mundo; veja ranking completo

INÍCIO DE CARREIRA

Carioca, Isabel Salgado começou a praticar vôlei aos 11 anos, no Colégio Notre Dame, em Ipanema. Rapidamente, ela se destacou e passou a treinar nas categorias de base do Flamengo. Em 1976, aos 16 anos, ela já era titular do clube rubro-negro e fazia parte da equipe juvenil do Brasil. Pela equipe carioca ainda foi bicampeã brasileira.

OLIMPÍADAS

Isabel participou de duas edições de Olimpíadas: Moscou-1980 e Los Angeles-1984. Nas duas, o Brasil ficou na quarta posição de seu grupo e saiu da competição sem vitórias. O desempenho não se destaca quando comparamos com os resultados de hoje em dia, mas era o começo da afirmação da seleção feminina, que passaria a figurar entre as melhores do mundo na década seguinte.

O desempenho de Isabel nos Jogos Olímpicos de 1980 a levou ao Modena, da Itália. Dessa forma, ela foi a primeira atleta de voleibol de alto nível brasileira a jogar profissionalmente no exterior.

+ Luto no vôlei: ex-atletas, jornalistas e outras personalidades lamentam morte de Isabel Salgado

VÔLEI DE PRAIA

A mudança para o vôlei de praia foi uma surpresa na vida de Isabel Salgado. Em entrevistas, ela contou que não tinha nenhuma experiência com o esporte. Sua dupla, Jackie Silva, a convidou para migrar para a areia e ela aceitou o desafio, em 1992.

No vôlei de praia, ela teve ainda mais destaque que nas quadras. Por Campeonatos Mundiais, ela foi ouro em Miami-1994, prata em Santos-1993, La Serena-1994, Osaka-1994 e bronze em Carolina Beach-1994 e Santos-1994.

Isabel foi extremamente importante para a consolidação do Brasil como potência no vôlei de praia mundial.

JOGO GRÁVIDA E LEGADO COM OS FILHOS

Durante a gravidez do seu segundo filho, Isabel quebrou barreiras e continuou atuando até os seis meses de gestação.

A conexão entre os filhos e o vôlei se manteve para o resto da vida. Dos cinco herdeiros de Isabel - Pilar, Maria Clara, Carol, Pedro e Alison - apenas Alison não se tornou jogador de vôlei.

Pedro, Carol e Maria Clara fizeram história no vôlei de praia. Em 2002, Pedro Solberg migrou do vôlei de quadra para a praia e, em 2008, foi medalhista de ouro no circuito mundial. Já Carol Solberg e Maria Clara formaram uma dupla, e foram treinadas pela mãe no início da carreira.

Posteriormente, Carol também atuou ao lado de outras duplas e colecionou medalhas de ouro, prata e bronze em circuitos mundiais. Ela ainda é jogadora e continua entre as melhores do mundo.

+ Luto no vôlei: Isabel Salgado iria compor grupo técnico do Esporte no governo Lula

POSICIONAMENTO POLÍTICO

Recentemente, Isabel foi convidada para fazer parte da equipe técnica de esportes da transição do Governo Lula, ao lado do ex-jogador de futebol Raí e da também ex-atleta de vôlei Ana Moser. Durante o último período eleitoral, ela foi bastante ativa na campanha a favor de Luiz Inácio da Silva e contra a reeleição do presidente Jair Bolsonaro.

Isabel Salgado
Isabel Salgado

Isabel participou ativamente da campanha de Lula (Foto: Ricardo Stuckert)

A filha de Isabel, Carol Solberg, chegou a se posicionar contra Bolsonaro em transmissão após uma partida. Ela chegou a ser julgada e absolvida pelo STJD. Na ocasião, Salgado defendeu a filha.

Em 2020, Isabel se envolveu em uma discussão com outra ex-jogadora de vôlei, Ana Paula Henkel. Após Henkel ser acusada de fala racista, ela chegou a dizer que a ex-atleta tinha "ideias que destilam muito preconceito".