Jogadores nascidos neste milênio começam a brilhar na Copa do Mundo

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A geração do novo milênio começa a mostrar a sua cara no futebol. A Copa do Mudo do Qatar é a primeira a ser disputada com jogadores nascidos a partir de 2001. Ao todo, são 79 atletas.

A seleção espanhola, sensação da primeira rodada ao golear a Costa Rica por 7 a 0, é a equipe com o maior número de garotos desta geração. São sete no total, entre eles o meio-campista Gavi, do Barcelona, que marcou um gol e se tornou o terceiro jogador mais jovem a balançar a rede, ao marcar com 18 anos e 110 dias.

Ele fica atrás apenas de Pelé (17 anos e 239 dias quando marcou pela primeira vez, em 1958, na Suécia) e do mexicano Manuel Rosas (18 anos e 93 dias no momento em que anotou, no Uruguai, em 1930).

E o jogo Espanha e Costa Rica foi o encontro da garotada, já que a seleção da América Central é a segunda em número de garotos, com seis. O costa-riquenho mais novo é o lateral-esquerdo Bennette, jogador do Sunderland, da Inglaterra, com 18 anos completados em junho.

Além de Gavi, outros também se destacaram na primeira rodada. A Inglaterra contou com os seus para golear o Irã por 6 a 2. O meia Bellingham, 19, do Borussia Dortmund, foi o primeiro nascido neste século a marcar um gol em Copa do Mundo. E Saka, 21, do Arsenal, balançou a rede duas vezes.

O mais jovem é o atacante Youssoufa Moukoko, do Borussia Dortmund, que completou 18 anos no dia 20 de novembro. Nascido em Camarões, ele mudou para a Alemanha com a família aos 10 anos para Hamburgo e hoje defende as cores da seleção germânica.

Moukoko é considerado uma das principais promessas do futebol alemão, acumulando recordes e números expressivos. Foi campeão europeu sub-21 com a seleção e se tornou o jogador mais jovem a chegar à marca de dez gols na Bundesliga.

A seleção brasileira conta com dois atletas nascidos neste século. Os atacantes Rodrygo, do Real Madrid, e Gabriel Martinelli, do Arsenal, nasceram em 2001. Mas a juventude do ataque contrasta com a média de idade do time do técnico Tite.

A seleção brasileira tem a quinta maior média de idade do Mundial do Qatar, com 28,4 anos.

As mais velhas são Irã (29,4), México (29,0), Argentina (28,5) e Tunísia (28,5). Iranianos e mexicanos não contam com nenhum jogador nascido a partir de 2001 em sua lista. A Dinamarca também não tem, mas conta com uma média de idade de 27,7 anos.

O recorde de jogador mais jovem a disputar uma Copa do Mundo pertence ao irlandês Norman Whitside, que jogou o Mundial de 1982, na Espanha, com 17 anos e 40 dias. Na ocasião, ele bateu o recorde de Pelé, que havia jogado a Copa de 1958, na Suécia, com 17 anos e 234 dias.