Jogadores do Furacão admitem partida ruim, mas acreditam na vaga

Gazeta Press


Athletico terá que tirar a diferença de dois gols em casa (Miguel Locatelli/CAP)

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

O Athletico Paranaense não conseguiu segurar o Grêmio no jogo de ida das semifinais da Copa do Brasil e perdeu por 2 a 0, na Arena do Grêmio, ficando em desvantagem para a volta, dia 4 de setembro, na Arena da Baixada. O zagueiro Léo Pereira, aliás, já pensa no duelo da volta em Curitiba, quando o Furacão precisará reverter uma situação que não estava nos planos.

“A gente sabe da nossa força jogando dentro de casa. Claro que a gente não esperava um resultado de 2 a 0 contra, mas fica a lição para não comentarmos os erros e entrarmos fortes”, disse o jogador, que admite uma apresentação do time abaixo da esperada. “A gente tem que melhorar, não foi um jogo bom nosso. Temos que dar o máximo no jogo de volta para conseguir reverter esse placar”, acrescentou.

O atacante argentino Marco Rúben mais uma vez passou em branco, e também destacou a superioridade do adversário durante os 90 minutos, com muito mais eficácia no setor ofensivo. “Claramente faltou fôlego, eles foram mais fortes do que nós, criaram a situações e converteram os gols”, avaliou.

Para o goleiro Santos, o Rubro-Negro não esteve bem, mas a vaga para a grande decisão ainda está em aberto e o time terá tempo para se ajustar até o segundo confronto entre as equipes. Santos “Nossa equipe foi muito abaixo do esperado. Mas, não tem nada resolvido ainda, tem 90 minutos ainda em Curitiba e vamos buscar essa vaga para a final”, concluiu.


Leia também