Jogadores da NBA ajudam crianças, funcionários e infectados durante pandemia do coronavírus


Com a suspensão da temporada da NBA ao menos nos próximos 30 dias, os jogadores da liga norte-americana de basquete tentam alertar a população e ajudar os mais necessitados de alguma forma. O armador Stephen Curry, do Golden State Warriors, anunciou que ajudará cerca de 18 mil crianças de escolas de Oakland.

Em virtude da pandemia do coronavírus, as escolas também paralisaram as suas atividades para evitar o risco de contaminação entre as pessoas. Desta forma, cerca de 18 mil crianças que dependem das escolas para fazer duas alimentações diárias foram prejudicadas. Para evitar isso, o jogador e sua esposa Ayesha Curry vão ajudá-las garantindo a comida na mesa.


Além de Stephen Curry, o ala-pivô Kevin Love, do Cleveland Cavaliers, doou R$ 480 mil a funcionários da Quicken Loans Arena, que viverão um drama pela falta de serviço nestes dias de "quarentena" do país. Já o pivô Rudy Gobert, o primeiro dos três casos confirmados na NBA, doou R$ 2,4 milhões para luta contra coronavírus.

Terceiro caso confirmado na NBA

O ala-pivô Christian Wood, do Detroit Pistons, é o terceiro jogador da NBA a ser infectado pelo coronavírus. Especula-se que o jogador de 24 anos teria sido infectado durante o confronto contra o Utah Jazz, no dia 7 de março. A liga recomendou aos times, em especial os que duelaram com o Jazz, que façam exames nos atletas e comissão técnica.



Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também