Jogadores do Cruzeiro minimizam vaias e exaltam vitória e vantagem: "melhor 1 a 0 que 2 a 1"

O Cruzeiro venceu a Chapecoense, na noite desta quarta-feira (3), por 1 a 0, no Mineirão, pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. A atuação da equipe mista celeste foi decepcionante e apática, em um duelo sonolento, mas a vantagem não é de se jogar fora. Se empatar a partida de volta, a Raposa estará nas quartas de final do mata-mata, e não sofreu gols em casa, o que é sempre um bom negócio na competição.

No entanto, a torcida cobrou o time pelo desempenho ruim em campo, e vaiou a equipe após o fim da partida. Dedé, zagueiro que voltou a ser titular na vaga do poupado Léo, formando a dupla de zaga com Caicedo, comentou a situação. "A intensidade (abaixo do habitual) é normal, pelo fato da Chapecoense vir fechada. Não considero uma vaia, mais um hábito do torcedor em ver o Cruzeiro atacando, mais em cima, e isso não aconteceu. Acho que foi um incentivo para a gente tentar mais gols", disse.

Dedé, que atuou desde o início de um jogo pela terceira vez após se recuperar de lesão, depois de ficar um ano inteiro sem entrar em campo, também falou da felicidade em jogar. "Estou feliz com o carinho do torcedor, a presença deles em um dia frio, quarta-feira tarde, mas mesmo assim eles vieram e compareceram. Nosso time está muito bem, trocando os jogadores e fazendo bons jogos", comentou, antes de exaltar a vantagem celeste.

Raniel Dede Cruzeiro Chapecoense Copa do Brasil 03052017

(Foto: Washington Alves/Cruzeiro/Divulgação)

"Foi um jogo difícil, a Chapecoense veio com time recuado, mas a gente conseguiu o objetivo que era vencer e não sofrer gols", concluiu.

Quem também elogiou a vantagem cruzeirense foi o meia Thiago Neves. "Melhor ganhar de 1 a 0 do que de 2 a 1. A gente não tomou gol e agora tem uma boa vantagem para a partida de volta", afirmou.

O duelo de volta entre Cruzeiro e Chapecoense acontece apenas no dia 1º de junho, na Arena Condá. Já neste fim de semana, a Raposa volta a campo no domingo, às 16h (de Brasília), para encarar o Atlético-MG, no jogo de volta da final do Campeonato Mineiro, no Independência. O time de Mano Menezes precisa vencer para se sagrar campeão estadual pela primeira vez desde 2014.