Jogadores do Corinthians mostram alívio por voltar a vencer

Os jogadores do Corinthians se mostraram aliviados com a vitória por 3 a 1 diante do Linense, nesta quarta-feira, em Itaquera. Não era para menos. A equipe dirigida por Fábio Carille não ganhava uma partida desde 9 de março, quando fez 2 a 0 sobre o Luverdense, pela Copa do Brasil.

“Estávamos precisando dessa vitória. Vínhamos de cinco empates. Graças a Deus, o grupo está fechado e vamos fortes para a fase de mata-mata do Campeonato Paulista”, afirmou o lateral esquerdo Guilherme Arana, autor da assistência para o gol do atacante Léo Jabá, o primeiro do triunfo. O meia Jadson e o paraguaio Romero completaram o marcador.

Na verdade, foram quatro empates, e não cinco, todos por 1 a 1, contra Ponte Preta, Luverdense, Red Bull Brasil e São Paulo, além de uma derrota por 1 a 0 para a Ferroviária no período de jejum.

“Estamos felizes por voltar a vencer por um placar elástico. Seria melhor se tivesse sido por 3 a 0, mas, infelizmente, tomamos um gol. Serve para o time aprender e entrar ligado no mata-mata. Sabemos que o Corinthians é sempre forte nesses jogos eliminatórios”, disse o volante Gabriel, que passou as duas últimas temporadas a serviço do rival Palmeiras.

Para o experiente centroavante Jô, que iniciou a carreira no Corinthians, o gol sofrido não importava tanto. Ele preferiu salientar a força ofensiva da equipe. “É natural ter algumas falhas, mas o que vale é que o ataque foi eficiente e conseguiu fazer três gols. Vamos parabenizar a molecada, que se esforçou”, sorriu o atleta, que teve os novatos Léo Jabá e Pedrinho ao seu lado diante do Linense.

Jô era mais um que estava incomodado com a escassez de vitórias. “A gente estava se cobrando. Um time igual ao Corinthians não pode ficar cinco jogos sem ganhar. Agora, o resultado está aí. Conquistamos uma vitória importante para ganhar confiança para abril, que será um mês decisivo para a gente”, avisou o centroavante, de olho nas partidas eliminatórias do Estadual, da Copa Sul-Americana e da Copa do Brasil.