Jogadores do Bayern e do Borussia aceitam diminuição do salário

AFP
O zagueiro francês do Bayern, Benjamin Pavard, cai durante um jogo da Bundesliga alemão contra o Augsburg em 8 de março de 2020 em Munique
O zagueiro francês do Bayern, Benjamin Pavard, cai durante um jogo da Bundesliga alemão contra o Augsburg em 8 de março de 2020 em Munique

Os jogadores do Bayern de Munique, do Borussia Dortmund e de outros clubes alemães aceitaram a diminuição do salários para ajudar os dirigentes a lidar com a crise financeira provocada pela pandemia do coronavírus.

Seguindo os passos do 'xará' Mönchengladbach na quinta-feira (19), foi a vez do Borussia Dortmund anunciar oficialmente nesta terça (24) que seus jogadores renunciaram "voluntariamente a uma parte de seus salários, em solidariedade aos 850 funcionários do clube e suas famílias".

A comissão técnica e os dirigentes do Borussia Dortmund, atual segundo colocado do Campeonato Alemão, também renunciaram a parte de seus salários, o que permite "economizar dezenas de milhões de euros", explicou em comunicado o clube, sem detalhar os valores.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Mesmo cenário no Bayern, líder da Bundesliga no momento em que a competição foi interrompida (13 de março), no qual todos os jogadores, membros do conselho de administração e do conselho de vigilância aceitaram diminuir em 20% seus rendimentos, segundo o jornal Bild.

O Bayern, que tem o elenco mais valioso da Alemanha, anunciou gastos de 336,2 milhões de euros com salários na temporada 2018-2019 e uma receita total de 750,5 milhões de euros no mesmo período.

Os jogadores do Werder Bremen e do Schalke 04 também aceitaram uma diminuição do salário. Conversas estão em andamento nesse sentido no Bayern Leverkusen, segundo a imprensa alemã.

Leia também