Jogadoras da Seleção Feminina se posicionam sobre acusação de assédio na CBF

·1 minuto de leitura

A Seleção Brasileira Feminina entra em campo na tarde desta sexta-feira (11) para disputar uma partida amistosa contra a Rússia. Entretanto, outra questão também muito importante foi levantada antes da bola rolar: a luta contra o assédio.

Horas antes do confronto, jogadoras da Seleção se manifestaram em suas redes sociais sobre as recentes acusações de assédio feitas por uma funcionária da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) contra o presidente afastado da entidade, Rogério Caboclo.

Rogério Caboclo ao lado de Pia Sundhage, técnica da Seleção Brasileira | FBL-BRAZIL-WOMEN-SUNDHAGE | MAURO PIMENTEL/Getty Images
Rogério Caboclo ao lado de Pia Sundhage, técnica da Seleção Brasileira | FBL-BRAZIL-WOMEN-SUNDHAGE | MAURO PIMENTEL/Getty Images

A mensagem foi compartilhada nos perfis de diversas atletas da Seleção Brasileira. Confira na íntegra o texto que foi publicado: "Todos os dias no Brasil, milhares de pessoas são acometidas e desrespeitadas com cenas de assédio, seja moral ou sexual. Especialmente nós, mulheres. São brasileiras e brasileiros, vítimas de abusos e atos que vão contra os nossos princípios de igualdade e construção de um mundo mais justo. Dizer não ao abuso são mais do que palavras, são atitudes. Encorajamos que mulheres e homens denunciem! Nossa luta pelo respeito e igualdade vai além dos gramados. Hoje mais uma vez dizemos: não ao assédio."

Atletas como Marta, Formiga e Ludmila, além de muitas outras e também de algumas integrantes da comissão técnica da Seleção, compartilharam o texto em seus perfis nas redes sociais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos