Jogadora do Atlético de Madrid é relacionada pela primeira vez após superar câncer

·2 min de leitura
Virginia Torrecilla volta ao Atlético de Madrid após superar tumor no cérebro. Foto: Jose Breton/Pics Action/NurPhoto via Getty Images
Virginia Torrecilla volta ao Atlético de Madrid após superar tumor no cérebro. Foto: Jose Breton/Pics Action/NurPhoto via Getty Images

Uma história de superação está pronta pra ser escrita no jogo entre Atlético de Madrid e Levante pela Supercopa da Espanha feminina, nesta quinta-feira (20). Virginia Torrecilla é a grande novidade da lista dos convocados do time da capital espanhola.

Esta é a primeira vez que ela é relacionada depois de superar o tumor cerebral com o qual foi diagnosticada em maio de 2020 e para o qual teve que passar por cirurgia e tratamento de quimioterapia.

Leia também:

Óscar Fernández convocou todo o plantel para a ocasião, com 24 jogadoras, só que duas terão que ser cortadas para completar a lista permitida de 22 atletas em cada partida. Torrecilla, que vem treinando a alguns meses, pode fazer sua reestreia.

Virginia não disputa uma partida oficial desde 11 de março de 2020, data em que participou da vitória da Espanha por 1 a 0 sobre a Inglaterra pela She Believes Cup, jogando os últimos 33 minutos da partida. Já pelo Atlético de Madrid, a última vez que foi vista em campo foi em 1 de março de 2020 na vitória por 3 a 0 sobre a Real Sociedad.

A descoberta do tumor aconteceu quando ao chegar dos Estados Unidos, Virgínia começou a sofrer fortes dores de cabeça que não eram aliviadas pelos tratamentos convencionais, o que a levou a ser examinada com mais atenção até que em 14 de maio de 2020, por meio de uma tomografia computadorizada, viu que tinha um tumor no cérebro. Uma cirurgia para a retirada aconteceu quatro dias depois.

Foi a própria Torrecilla quem anunciou o que estava acontecendo com ela com um vídeo emocionante. "Ganhei o jogo mais importante da minha vida. Se antes vivia a vida, agora viverei o dobro", frisou.

A meio-campista que teve passagens por Sporting de Palma, Barcelona, ​​​​Montpellier, antes de chegar ao Atlético de Madrid passou por um longo tratamento quimioterápico. "Durante todo o meu processo eu quis mostrar o lado mais positivo, mas também tive momentos ruins e chorei muito. E ainda choro. Aprendi que às vezes é necessário e que não é ruim mostrar", disse recentemente em suas redes.

Em 30 de março de 2021, a própria jogadora comunicou através das redes sociais que não tinha restos do tumor.

Aos 27 anos, ainda tem sonhos na sua carreira como jogadora de futebol.

"Tenho muitas coisas para realizar. Com a seleção, gostaria de ir aos Jogos Olímpicos e com o Atlético de Madrid jogar um Final da Liga dos Campeões... e vencê-la", metas que não seriam tão ousadas para quem superou uma batalha tão ingrata contra o câncer.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos