Jogador do Valencia explica motivo de time ter voltado a campo mesmo após acusação de racismo

LANCE!
·1 minuto de leitura


Depois da derrota para o Cadiz pelo Campeonato Espanhol neste domingo, o lateral-esquerdo e capitão do Valencia, José Gayà, explicou o porquê de sua equipe ter voltado a campo após a acusação de injúria racial de Diakhaby a Juan Cala. Segundo o jogador, o medo de perder pontos foi determinante.

+ Veja a tabela da La Liga


- Diakhaby estava muito zangado. Ele nos disse que o insultaram de forma racista e foi por isso que entramos no vestiário. É uma pena que esse tipo de coisa continue acontecendo no futebol e temos que remediar sim ou sim. Apoiamos Diakhaby em todos os momentos - disse Gayá ao canal oficial do Valencia antes de completar:

- Fizemos o que ele nos disse. Ele queria que nós saíssemos. Saímos porque ele nos pediu, mas nos disseram que podiam tirar alguns pontos de nós. Portanto, não tivemos outra opção a não ser voltar. Foi um jogo muito raro. Tivemos a iniciativa, faltou clareza na liderança, mas acho que não merecíamos perder.

+ Puma lança nova chuteira para Neymar. Veja fotos em galeria!

Cadiz x Valencia - Acusação de racismo de Mouctar Diakhaby a Juan Cala
Cadiz x Valencia - Acusação de racismo de Mouctar Diakhaby a Juan Cala

Diakhaby ficou furioso após desentendimento com Juan Cala, do Cadiz (Foto: Divulgação / Site oficial do Valencia)

O jogador disse também que foi uma partida "atípica" por conta do caso de racismo, mas que isso não pode ser desculpa para a derrota da equipe.

- Somos profissionais. Voltamos e tentamos fazer o nosso melhor. Foi um jogo muito atípico, mas não podemos dar desculpas e precisa mirar o próximo jogo.