Jogador mexicano se desculpa por festa infantil temática de narcotráfico

'Cata' Domínguez, jogador do Cruz Azul, gerou polêmica com a festa organizada para seu filho.
'Cata' Domínguez, jogador do Cruz Azul, gerou polêmica com a festa organizada para seu filho. Foto: (Mauricio Salas/Jam Media/Getty Images)

Julio César 'Cata' Dominguez, jogador do Cruz Azul, do México, foi protagonista de uma grande polêmica nos últimos dias após divulgar em seus perfis das redes sociais uma festa de aniversário organizada para seu filho, que tem menos de 18 anos de idade, com o tema do narcotráfico.

Em seu perfil oficial no Instagram, o zagueiro publicou uma retratação pedindo desculpas pelo inconveniente causado: "À opinião pública: Através deste meio, peço sinceras desculpas pelas imagens publicadas em minhas redes sociais com relação a uma festa infantil. Reconheço que elas não contribuem para criar uma melhor impressão do México e que nem eu, nem minha família, promovemos ou justificamos nenhum tipo de violência. Somos gente que fomenta o esporte nas novas gerações, além dos valores e princípios de uma instituição exemplar como é o Club de Futbol Cruz Azul".

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Leia também:

A festa de aniversário

No último final de semana, 'Cata' Domínguez publicou imagens de crianças portando armas de brinquedo, fazendo referência ao arsenal que o narcotráfico mexicano possui, além de vestirem roupas e bonés com as letras JGL, que são alusivas a Joaquín Archivaldo Guzmán Loera, conhecido como 'El Chapo', principal nome do Cartel de Sinaloa.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

A publicação foi feita dias após a prisão do filho de El Chapo, Ovidio Guzmán, em Sinaloa, episódio que rendeu forte tiroteio entre as forças de segurança do México e os soldados que protegiam o filho do número 1 do narcotráfico do país da América do Norte. O episódio resultou na morte de 29 pessoas.

Quando questionado sobre a polêmica, logo após a partida do Cruz Azul contra o Tijuana, pelo Campeonato Mexicano, em que Cata não fora sequer relacionado, o técnico Raúl Gutiérrez disse que não iria falar sobre o assunto.