Jogador lamenta proibição de bebidas ao redor de estádios

Proibição de venda de cerveja perto dos estádios foi anunciada por autoridades do Catar.
Proibição de venda de cerveja perto dos estádios foi anunciada por autoridades do Catar. Foto: (Buda Mendes/Getty Images)

Depois de as autoridades do Catar proibirem a venda de bebidas alcóolicas nos entornos dos estádios da Copa do Mundo, que será realizada entre os dias 20 de novembro e 18 de dezembro deste ano, o lateral Rasmus Kristensen, da Dinamarca, lamentou a proibição.

Em entrevista à TV2, emissora do país, o jogador do Leeds United afirmou que: "Acho que é uma decisão polêmica. É uma pena, preciso dizer. Não porque a cerveja e o álcool devam fazer parte de um evento de futebol. Mas também é algo que muitos associam ao futebol. E acho que há um patrocinador que está infeliz".

Leia também:

Jakob Jensen, CEO da Federação Dinamarquesa de Futebol, também foi consultado pela emissora da Dinamarca e falou sobre o tema: "Também acho que alguns torcedores dinamarqueses pensaram ao comprar seus ingresso que seria possível beber cerveja nos jogos. Eles provavelmente estavam ansioso por isso. Então, acho que ficarão desapontados. Acho que é uma pena e espero que continue a haver um bom ambiente durante nossos jogos".

No início da semana, o Comitê Organizador e a própria FIFA informaram que seria permitida a venda e o consumo de cerveja nos entornos dos estádios da Copa do Mundo, começando três horas antes das partidas e parando 40 minutos antes do apito inicial, para que os torcedores ingressassem aos estádios. Com a definição da família real que comanda o Catar, será vendida apenas a cerveja sem álcool, por R$ 45,00, do mesmo fabricante e patrocinador do Mundial.

Apenas no FIFA Fan Festival, das 19h à 1h, será permitida a venda de cerveja para torcedores que viajaram ao Catar para acompanhar a Copa do Mundo de 2022.