Japão vence Alemanha de virada (2-1) em nova surpresa na primeira rodada da Copa

A Alemanha repetiu o roteiro da Argentina diante da Arábia Saudita e decepcionou ao perder de virada para o Japão pelo mesmo placar de 2 a 1 nesta quarta-feira, em sua estreia na Copa do Mundo do Catar no estádio Khalifa, em Doha, pelo Grupo E, que também conta com Espanha e Costa Rica.

O meia Ilkay Gündogan abriu o placar cobrando pênalti aos 33 minutos, mas no segundo tempo o ponta-direita Ritsu Doan empatou (75) e o atacante Takuma Asano virou na reta final (83). Os dois japoneses autores dos gols atuam na Bundesliga alemã.

Em mais um jogo marcado por mensagens políticas, os jogadores da seleção alemã cobriram ostensivamente a boca com as mãos ao tirar a foto do time antes da partida, um aparente protesto contra a ameaça de sanções por parte da Fifa para impedir que a braçadeira 'One Love' fosse usada no Catar.

As sete federações europeias, incluindo a da Alemanha, que planejavam usar uma braçadeira colorida anti-discriminação, desistiram na segunda-feira devido à ameaça de "sanções esportivas" não especificadas pela Fifa.

Uma posição muito criticada na Alemanha, onde muitas pessoas pediram a seus jogadores que desafiassem essa proibição.

- Alemanha domina primeiro tempo -

Do lado de fora do estádio, o clima era de normalidade. Torcedores alemães, japoneses e das mais variadas nacionalidades circulavam no entorno do estádio com suas camisas e bandeiras para a assistir a um duelo inédito em Copas do Mundo, que recebeu um público de 42.680 espectadores.

Vestindo seu novo uniforme, caracterizado por uma faixa preta vertical no centro da tradicional camisa branca, a Alemanha do técnico Heinsi Flick entrou em campo no esquema 4-2-3-1 com Kai Havertz jogando mais adiantado no ataque.

Do outro lado, os japoneses buscaram desde o início tocar a bola, dando a iniciativa ao adversário para poder sair no contra-ataque e dando a impressão de que o empate seria um resultado mais do que satisfatório.

Apesar da incessante cantoria da torcida japonesa, marcada pelo ritmo dos tambores, era a Alemanha quem ficava na ofensiva quase que o tempo todo.

Mas em um dos raros ataques do Japão no primeiro tempo, logo aos 7 minutos, os asiáticos tiveram um gol anulado por impedimento claro do atacante Daizen Maeda ao receber um cruzamento rasteiro de Ito.

Aos 15 minutos, Kimmich cobrou um escanteio aberto e o zagueiro Antonio Rudiger desviou de cabeça para fora, assustando a defesa japonesa.

Oito minutos depois, Thomas Muller recebeu no meio e tocou de primeira na direção de Havertz na grande área, mas Hiroki Sakai conseguiu afastar. O árbitro consultou o VAR para saber se teria havido pênalti a favor da Alemanha por um desvio no braço de Endo, mas a penalidade não foi concedida.

Aos 30, Raum recebeu um ótimo lançamento de Kimmich na área, e ao perceber a saída de Shuichi Gonda tentou driblá-lo, mas caiu. Ele se levantou e acabou sendo derrubado novamente pelo goleiro. Dessa vez o árbitro não teve dúvidas e marcou o pênalti. O VAR ainda foi consultado e a penalidade foi confirmada.

Na cobrança, o meia Ilkay Gündogan mostrou frieza e esperou Gonda pular para o canto esquerdo para chutar mais para o lado direito e abrir o placar.

O gol deu mais tranquilidade aos alemães e os japoneses seguiram com dificuldades de sair de seu campo. Com o jogo esfriando, as torcidas começaram a fazer a tradicional 'hola' no estádio Khalifa.

Aos 46 minutos Kimmich disparou da meia-lua e Gonda se esticou para defende no canto direito. Gnabry recuperou a bola no rebote e chutou cruzado. Livre na área, Havertz empurrou para o fundo da rede. Mas o gol foi anulado porque ele estava impedido.

- Virada japonesa -

Logo aos 2 minutos, Muller avançou em velocidade e deixou para direita, onde encontrou Gnabry que soltou a bomba mandando a bola na trave e para fora. Pouco depois o habilidoso Jamal Musiala fez um carnaval na área com uma série de dribles, mas chutou por cima do travessão.

A trave voltaria a impedir um segundo gol alemão aos 7 minutos. Gundogan recebeu um passe de Musiala e disparou da entrada da área. Mais uma vez a bola desviou na trave e foi para fora.

Flick fez duas alterações, colocando Leon Goretzka e Jonas Hoffman no lugar de Gündogan e Muller, respectivamente.

Essas oportunidades desperdiçadas iriam custar caro. O Japão começou a atacar mais e a ameaçar o gol de Manuel Neuer.

Aos 30 minutos Ito recebeu um lançamento na grande área, dominou no peito e chutou. Mas o experiente goleiro alemão conseguiu espalmar. Sakai ainda aproveitou a sobra, mas chutou por cima do travessão.

Pouco depois, Minamino recebeu passe de Mitoma no lado esquerdo da área, chutou cruzado e Neuer espalmou. Doan, que joga pelo alemão  Freiburg, aproveitou a sobra e empatou a partida, para o delírio da torcida dos 'Samurais Azuis'.

E a virada não demorou. Itakura aproveitou uma cobrança de falta para fazer um belo lançamento para Asano, atacante do Bochum, que conseguiu dominar a bola e superar Schlotterbeck para soltar a bomba e estufar a rede. Um barulho ensurdecedor tomou conta do Khalifa e a torcida japonesa ficou incrédula.

Restando poucos minutos, a Alemanha deu sinais de desespero e começou a bombardear a área japonesa.

Já nos acréscimos, Hofmann tocou para Fullkrug, que ajeitou de cabeça para o chute de Goretzka. Mas a bola passou raspando a trave direita (95).

O desespero ficou ainda mais evidente em um escanteio cobrado por Kimmich em que Neuer foi para a área adversária para tentar o gol, mas Gonda conseguiu afastar com um soco.

E assim terminou a partida, com todos os reservas e a comissão técnica entrando em campo para saudar os jogadores. Já a Alemanha, que deve ter se lembrado do fantasma da Copa da Rússia-2018, em que foi eliminada por outra seleção asiática, a Coreia do Sul, se complica em sua luta pelo pentacampeonato.

Na próxima rodada, o Japão vai enfrentar a Costa Rica no domingo às 13h locais (7h pelo horário de Brasília). Já a Alemanha terá que partir para o tudo ou nada contra a forte Espanha às 22h locais (16h de Brasília).

aam/cb