Japão retira sua candidatura a sede da Copa do Mundo feminina de 2023

AFP
Megan Rapinoe em campo pelos Estados Unidos durante a Copa do Mundo da França, em Lyon, 7 de julho de 2019
Megan Rapinoe em campo pelos Estados Unidos durante a Copa do Mundo da França, em Lyon, 7 de julho de 2019

O Japão retirou sua candidatura a sede a Copa do Mundo feminina de 2023, informou nesta segunda-feira (22) a federação de futebol do país, poucos dias antes da Fifa anunciar o anfitrião da competição.

O presidente da Associação de Futebol Japonês (JFA), Kozo Tajima, explicou que a desistência se deve ao fato do país estar focado na organização dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, adiados para 2021 devido à pandemia do coronavírus.

"Eu senti resistência para organizar dois eventos tão importantes no mesmo país em um curto espaço de tempo, algo que foi reforçado pelo impacto da pandemia do coronavírus", justificou o dirigente em comunicado.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A desistência do Japão significa que restam dois candidatos no páreo para sediar a Copa feminina de 2023: Colômbia e a candidatura conjunta de Austrália e Nova Zelândia, considerada favorita.

A decisão da JFA acontece semanas após o Brasil anunciar que se retirava da disputa, forçado pela austeridade imposta pela pandemia.

A Fifa pretende anunciar a sede da Copa do Mundo feminina de 2023 em 25 de junho.

Leia também