• Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Como o McDonald's atrapalhou o basquete brasileiro em Barcelona

·3 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Os Jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992, marcaram a primeira participação do basquete feminino brasileiro no maior evento esportivo do mundo. A penúltima posição entre oito equipes não foi o que o grupo esperava, algo que pode ser creditado ao deslumbramento e todas as tentações que o momento proporciona.

Em parte da série 'TBT Olímpico', o Yahoo Brasil conversou com Janeth Arcain, que representou o Brasil em quatro Olimpíadas e é integrante do Hall da Fama do Basquete. A armadora relembrou sobre a experiência da primeira participação nos Jogos.

Leia também:

"Eu lembro algumas coisinhas, não é 100%, mas o que eu lembro é o seguinte: a gente chegando ali na Vila, e parece que ficava paralelo de um lago assim", conta a ex-atleta. "E uma das primeiras coisas que eu olhei assim eu falei 'Nossa, onde tá o McDonald's?', porque ela tudo de graça e a gente queria saber onde tava o McDonald's. E parecia que ele tava do outro lado da Vila e só ia abrir depois, então era uma das coisas que a acaba lembrando."

"Outra coisa que eu lembro é a gente chegando, tendo que subir as escadas – ou o elevador pra quem queria demorar um pouquinho mais – com as malas pesadas, a gente dividindo os quartos, quem ia ficar aonde e tal", relembra Janeth. "Também depois a gente conhecendo, a gente deu a volta em toda a Vila, aquela coisa maravilhosa, linda, bonita. Aquele monte de atleta, várias pessoas já estavam lá porque já estavam participando, tem gente que já participa desde o primeiro dia. E a gente chegando, a gente olhando, a gente vendo tudo aquilo."

Em quadra, a seleção estreou com vitória contra a Itália (85-70) e perdeu para Cuba (95-88, na prorrogação) e para a Equipe Unificada (76-64), que contava com atletas da União Soviética após sua dissolução. 

Os resultados fizeram com que o Brasil disputasse o torneio de quinto ao oitavo lugar. Na primeira partida, derrota para a Tchecoslováquia (74-62), colocando a equipe que tinha grandes nomes como Hortência e Paula na decisão pelo último lugar.

"A gente se deslumbrou tanto com a Vila Olímpica que esqueceu de jogar basquete. Teve menina que acabou engordando, passando do peso e isso influencia muito no resultado que a gente poderia ter. Meninas não descansando, ficando mais tempo", reconta a armadora. "E assim, eu lembro que também sempre tava saindo, olhando, vendo. Mas eu descansava na hora que tinha descansar. Mas quando você fala de esporte coletivo você fala de todas as meninas."

Na decisão pelo último lugar, nova vitória contra a Itália, desta vez por 86 a 83 na prorrogação, garantindo que a equipe não ficasse na rabeira dos Jogos. 

Dois anos depois, a mesma base desta equipe foi campeã mundial na Austrália. Quatro anos depois, a seleção esteve em outra decisão nas Olimpíadas, desta vez pelo ouro. Mas isso é história para o próximo episódio do 'Lendários', que vai ao ar na próxima terça (20). 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos