Jakson Follman diz que precisou se blindar após acidente: 'Tenho recordações de quando abri os olhos'

·1 min de leitura


O ex-goleiro Jakson Follman, que sobreviveu a tragédia com o voo da Chapecoense em 2016, relembrou o acidente que completa cinco anos no fim deste mês. Em participação no programa 'Sensacional', da RedeTV, que vai ao ar nesta quinta-feira, ele relembrou o sentimento que teve ao acordar no meio do matagal, no local do acidente.

- Lembro que a gente estava muito feliz e fazendo um voo super tranquilo. Estávamos sentados quando o motor desligou e as luzes se apagaram, ficou tudo um silêncio, ninguém falava nada para gente. Ficamos em pânico segundos antes da queda, porque começou a tocar uma sirene. Comecei a rezar, como todo mundo que estava ao meu redor. No meu pensamento, as luzes e os motores iam voltar. Isso passava na minha cabeça - iniciou.

- Tenho algumas recordações de quando eu abri os olhos, da mata, era tudo muito escuro, da chuva e da cintura para baixo que estava amortecido. Mas eu não sabia onde estava, eu não conseguia pensar sobre o que tinha acontecido - completou.

O avião que transportava a delegação da Chapecoense caiu a caminho do primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana, na Colômbia. Após o acidente, durante a recuperação Follmann afirmou que precisou se blindar das redes sociais para focar na recuperação.

- Me privei de muita coisa, liguei meu celular depois de quase um mês - diz ele, hoje aos 29 anos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos