Bolsonaro critica "neurose" e se defende sobre número de mortos na pandemia: "diminuir como?"

Yahoo Notícias
Foto: SERGIO LIMA/AFP via Getty Images
Foto: SERGIO LIMA/AFP via Getty Images

No fim do dia em que o Brasil superou a marca de 76 mil vítimas e mais de dois milhões de casos confirmados do novo coronavírus, Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que há uma “neurose” sobre isolamento social adotado contra a doença e disse não saber como diminuir os índices de óbitos da doença.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Em transmissão ao vivo em uma redes social, na noite desta quinta-feira (17), Bolsonaro citou um estudo que apontou que 66% dos contaminados em Nova York estavam em casa e foram infectados por parentes.

Leia também

“Então houve uma neurose no tocante a isso daí. Ninguém disse que ninguém ia morrer por causa do coronavírus. Tanto ia como está morrendo, infelizmente. Agora alguns acham que tinha como diminuir o número de óbitos. Diminuir como?", questionou o presidente.

Bolsonaro voltou a ressaltar os problemas econômicos que foram agravados pela pandemia do no país. Para ele, é preciso sim preservar vidas, mas crê que há uma disseminação de pânico no país, citando inclusive o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

“Quando resolveram lá atrás partir para o achatamento da curva, vocês lembram do ministro [Luiz Henrique Mandetta], né? "Vamos achatar a curva!". Ele falava nas reuniões de ministro: "caminhões do Exército vão pegar corpos nas ruas". Semeando o pânico no Brasil. A grande mídia também dando uma força muito grande no tocante a isso", afirmou.

Desde o início, Bolsonaro é crítico do isolamento social. O presidente citou a melhor de índices de ocupação de leitos em alguns estados, mas ignorou o aumento do número de mortos em 9 estados e no DF. Sem apresentar provas, ele voltou a citar um aumento de mortes por “depressão” e “suicídio”

“Então o objetivo era esse. Hoje nós estamos vendo que em vários Estados está sobrando leito, graças a Deus, né? Então tem que começar a abrir, poxa. Porque a crise por falta de emprego, morte, suicídio, depressão tá aí, tá chegando”, declarou.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Leia também