Jailson: 'Estava chegando minha vez de bater, tinha que pegar pênalti logo'

Igor Castro/Florida Cup/Divulgação
Igor Castro/Florida Cup/Divulgação


No último pênalti de uma disputa com 20 cobranças, Jailson sabia que, se Velásquez não fosse o primeiro a errar, seria obrigado a bater, como última opção. Mas o goleiro pulou em seu canto direito e, após fazer milagres no segundo tempo do 0 a 0 diante do Atlético Nacional, da Colômbia, deixou o Palmeiras estrear com dois pontos na Florida Cup.

– Treinamos bastante hoje. Se tivesse que bater, eu estava preparado. Mas pensei: 'daqui a pouco, chega minha vez, tenho que pegar logo'. Se eu batesse, ia mandar na lua. A partir de hoje, vou começar a treinar - disse o camisa 42, que, como todo o elenco, trabalhou pela manhã, nos Estados Unidos, mesmo com jogo à noite, para não haver prejuízo na pré-temporada.

O goleiro atuou durante todo o segundo tempo, com Weverton ocupando a posição na metade inicial da primeira partida da equipe na temporada. Jailson começou já com defesas difíceis, evitando que o adversário colombiano abrisse o placar e vencesse no tempo normal.

– Foi para começar o ano bem, ver se o coração está bom. O time está de parabéns, fizemos um bom jogo. Começo de temporada é assim, com a perna pesada, sem ritmo de jogo. Mas ganhamos nos pênaltis - opinou.

A disputa de pênaltis serve para definir quem tem ponto extra após empates na Florida Cup. No sábado, às 16h (horário de Brasília), o Palmeiras enfrenta o norte-americano New York City, e o Atlético Nacional joga mais tarde contra o Corinthians, que lidera o torneio com três pontos. Será o último compromisso das equipes nos Estados Unidos e fica com a taça quem tiver mais pontos.




Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também