Júlio César vira herói nos pênaltis e Abel avisa Cavalieri: 'Agora tem luta'

João Mércio Gomes

Ele jogou oito dos onze jogos do Fluminense na temporada, mas muitos ainda o consideram reserva da equipe. Júlio César chegou ao clube em 2014 e só agora começa a beliscar uma vaga no time titular. Depois de campanha perfeita até a final da Taça Guanabara, com quatro jogos disputados e nenhum gol sofrido, o goleiro falhou no clássico contra o Flamengo. No entanto, o título foi decidido nos pênaltis e nas mãos do camisa 22, que defendeu cobrança de Réver.

Em entrevista coletiva após a conquista, Abel Braga elogiou os cobradores e fez questão de ressaltar a participação de Júlio César. O treinador ainda mandou um recado a Diego Cavalieri, lesionado desde a segunda partida da temporada.

- Além do mérito deles, teve o mérito do Julio César. Começou o ano na reserva e mostrou seu valor. Com certeza, posso dizer com toda a admiração que tenho pelo profissional e homem Diego Cavalieri: agora tem uma sombra e tem luta (pela posição). E a luta não é pequena - afirma o treinador.

Após a conquista, o camisa 22 garantiu manter os pés no chão e não quis comentar uma possível disputa pela posição de titular. Mesmo com os três gols sofridos na final, Júlio César tem a melhor média entre os goleiros do elenco, com um gol sofrido a cada 132 minutos em campo neste ano (Cavalieri sofre um a cada 90 minutos e Marcos Felipe a cada 74).





E MAIS: