► Jô e Vizeu ajudam a escolher o camisa 9 mais matador do Brasil

“Fizemos esse evento para lançar a nova chuteira da Nike, a Hypervenom 3, uma evolução da que a gente lançou em 2013. Essa chuteira é posicionada para o matador... Existe muita discussão se o centroavante está em extinção ou sendo substituído pelo falso 9 e temos certeza que no Brasil existem muitos matadores que unicamente tem em mente fazer gol. Fizemos esse evento não só para lançar a chuteira, mas também para provar que o rei da grande área será sempre o centroavante e que ele está espalhado pelo Brasil inteiro”, afirmou à Goal Brasil a diretora de marca para o futebol da Nike do Brasil, Bárbara Casara.

Evento Nike - 16/02/2017


(Foto: Divulgação/Nike)

Para ajudar na escolha desse matador, cada um dos quatro canais de You Tube focados no futebol brasileiro que participaram do evento, ajudaram a selecionar um representante para participar do evento, além de um garoto que foi selecionado através de um desafio com o centroavante Leandro Damião.

“A forma de consumir futebol mudou. Antigamente só se via na televisão, depois migrou um pouco para internet e hoje essa molecada consome futebol através do You Tube, então nada mais justo que convidá-los para fazer parte desse evento e eles serem os responsáveis por fazer o recrutamento”, explicou Bárbara.

Evento Nike - 16/02/2017


(Foto: Divulgação/Nike)

Além dos Youtubers, os centroavantes Jô, do Corinthians, Felipe Vizeu, do Flamengo, e Rodrygo Goes, das categorias de base do Santos, estiveram no evento como jurados.

“Não sou velho (risos), mas lembrei do desfaio da jaula que fiz com meu colégio, o João XIII, fomos campeões, e meu pai guarda até hoje esse troféu. É legal, um início de tudo. Cada um desses moleques tem sonhos, então é bacana ver isso. Espero que vários deles se tornem profissionais e tenham muito sucesso”, afirmou Jô.

No fim, Raphael Salles “O Demolidor”, selecionado pelo canal de Wendell Lira, vencedor do Prêmio Puskás de 2015, acabou sendo escolhido como o camisa 9 mais matador do Brasil e levou para casa o cinturão dourado “Mete Caixa”.