Jô destaca raça do Corinthians e se defende: 'Tenho história no futebol'

Bruno Cassucci

O bom início do Corinthians em 2017 se deve não apenas a questões técnicas e táticas, mas também a aspectos comportamentais. É o que afirma o atacante Jô, que apontou diferenças entre o Timão em 2016 e neste início de temporada.

Contratado em novembro do ano passado, o centroavante reestreou apenas neste ano, mas já vinha treinando com o grupo. Para ele, é notório que há mais dedicação e comprometimento do elenco alvinegro:

- Desde o ano passado eu venho acompanhando, conversando com todos. Além do treinamento, é importante ter o entrosamento fora de campo, saber o que o cada jogador pensa, quer. Muito se falava da falta de comprometimento no ano passado, mas hoje já está diferente, todo mundo se dedicando, dando carrinho. Ano passado, por falta de conversa, comunicação, alguns detalhes passaram despercebidos, mas esse ano nós que chegamos de fora complementamos isso. Com o trabalho do Carille, o time está crescendo muito bem - declarou.

Jô balançou as redes nos dois clássicos que o Timão realizou neste Paulistão, contra Palmeiras e Santos, e em ambos os jogos garantiu a vitória por 1 a 0.

Indagado sobre as comparações feitas com Borja, do Palmeiras, Pratto, do São Paulo, e Ricardo Oliveira, do Santos, ele evitou polêmicas, mas destacou que também tem seu valor:

- Eu ainda não vi no futebol, nem nunca vou ver, um time ganhar só no papel. Tem que chegar ali dentro e mostrar seu valor. Respeito os atacantes dos outros clubes, mas também tenho história no futebol. Quando a bola rola, são 90 minutos para cada um correr atrás do seu. Não é só falar, tem que mostrar, e o Corinthians está mostrando isso - opinou.










E MAIS: