Jéssica 'Bate-Estaca' confirma acordo verbal para revanche com Rose Namajunas

Sem lutar desde que foi nocauteada por Weili Zhang em agosto, Jéssica ‘Bate-Estaca’ parece pronta para retomar sua carreira nos octógonos do UFC. E quem garante é ela mesma, que em conversa com a reportagem da Ag. Fight afirmou que acertou verbalmente o duelo contra uma velha conhecida.

Ainda sem data confirmada, Jéssica, que aguarda a definição dos últimos detalhes para a formulação do contrato, deve medir forças com Rose Namajunas, justamente a atleta que ela precisou vencer para se tornar campeã peso-palha (52 kg) do evento, em maio do ano passado, na cidade do Rio de Janeiro.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

“Por enquanto, a gente está na palavra. Negociando com ela (Rose), com o Dana White, meu empresário já foi atrás da luta e estamos só aguardando. Esperando o contrato, assim que o contrato sair a gente consegue divulgar com certeza a data, quando vai ser e onde também. Por enquanto estamos só apalavradas mesmo”, detalhou a atleta de apenas 28 anos.

Na última quinta-feira (9), o canal americano da ESPN afirmou que a disputa é negociada para o início de abril, em Nova York (EUA). Caso ele aconteça, será a reedição do duelo que liderou o card no Brasil e que sagrou Jéssica como campeã, mesmo após um duro início, onde se viu dominada pelo melhor jogo de pernas da oponente.

“Ela sabia as quedas que eu iria tentar, os tipos de coisas que eu iria fazer. Então todas as quedas que eu realizei, ela tentava uma finalização ou alguma coisa do tipo. Acredito que também consegui sentir a força dela, o nível técnico. Muita coisa vai mudar nessa próxima luta. Venho trabalhando muito a questão de esquiva, de como caminhar dentro do octógono. A parte de wrestling eu venho focando cada vez mais também, porque sei que quando eu agarro não tem quem não saia do chão”, analisou, otimista em relação ao possível reencontro.

“Tive esse tempo todo para colocar minha cabeça no lugar, voltar a focar. Hoje tenho uma casa maravilhosa, tudo que sempre sonhei. Mas às vezes a gente chega no maior ponto (de nossas vidas) e acha que é o suficiente, mas não. Tem que sempre almejar e querer mais, por isso comecei esse ano já com treinos fortes de muay-thai, jiu-jitsu e wrestling. E quando tiver uma luta marcada, vou estar mais forte do que todas as outras vezes”, finalizou a única brasileira a ser campeã desta categoria.

 

Leia também