Italo Ferreira aposenta Mick Fanning e conquista etapa mais tradicional do surfe

Yahoo Esportes
Italo Ferreira conquistou uma etapa do Circuito Mundial pela primeira vez
Italo Ferreira conquistou uma etapa do Circuito Mundial pela primeira vez

Por Guilherme Daolio

Um dia para a história.

Assim pode ser definido o último dia de competições da segunda etapa do Mundial de Surfe em Bells Beach, na Austrália. No evento que marcou a despedida de um dos maiores surfistas da história, o tricampeão Mick Fanning, foi o brasileiro Italo Ferreira quem roubou a cena e bateu justamente o ídolo local na decisão. Essa foi a primeira vitória do potiguar de 23 anos que, declarou toda a sua admiração pelo australiano após a final: “Fanning sempre foi meu surfista predileto e o meu herói”.

Italo foi o 14º brasileiro a vencer uma etapa da elite e se juntou a Silvana Lima e Adriano de Souza como os únicos brasileiros a tocar o famoso sino destinado ao campeão da etapa de Bells.

Italo Ferreira conquistou uma etapa do Circuito Mundial pela primeira vez
Italo Ferreira conquistou uma etapa do Circuito Mundial pela primeira vez

A grande decisão começou com os dois surfistas muito nervosos por motivos diferentes. Enquanto Italo buscava seu primeiro título na elite, Fanning sabia que aquela seria a última bateria de sua longa e vitoriosa carreira. Com todo o apoio da torcida local, dos amigos e da família, o australiano começou bem e sua nota 8.10 pressionou o brasileiro. Mesmo errando mais do que o normal, Italo arrancou um 7.33 dos juízes. Na sequência surfou a melhor onda da bateria (8.33) e garantiu a vitória por 15.66 a 12.83.

Na trajetória até o título inédito, Italo teve vários brasileiros pelo caminho. Na 1ª fase, perdeu para Gabriel Medina e teve que disputar a repescagem, onde passou tranquilo por Michael Rodrigues. Na terceira fase foi a vez de dar o troco em Filipe Toledo, que o havia eliminado na primeira etapa. Na quarta fase, Medina novamente apareceu no caminho de Italo. O campeão mundial de 2014 até venceu a bateria, mas dois atletas se classificavam e o potiguar garantiu a vaga nas quartas de final, onde atropelou o havaiano Ezekiel Lau com as melhores notas da competição até ali (8.83 e 9.03). Na semifinal, o terceiro encontro com Medina e dessa vez com vitória. Com direito a melhor onda do evento (9.17), Italo somou 16.00 pontos contra 14.10 do amigo e garantiu sua vaga na grande final.

 A segunda etapa do Mundial também colocou muitos brasileiros frente a frente. Além de Italo e Gabriel, nenhum dos compatriotas surfistas passaram da terceira fase. Filipe Toledo teve uma grande atuação nas duas primeiras fases, mas parou justamente diante de Italo. Adriano de Souza também não foi além da terceira fase ao perder nos detalhes para o americano Conner Coffin. Estreantes, Willian Cardoso e Jessé Mendes também terminaram na 13ª colocação. Ian Gouveia, Yago Dora, Caio Ibelli, Tomas Hermes e Michael Rodrigues não tiveram um bom desempenho em Bells e se despediram com a 25ª e última colocação.

 :: A DESPEDIDA DE UMA LENDA ou #CHEERSMICK ::


Não haveria melhor forma de se despedir do Circuito Mundial. Um dos maiores surfistas de todos os tempos, Mick Fanning escolheu sua etapa preferida para dar adeus ao esporte competitivo. O australiano tem números espetaculares em Bells Beach. Em 19 participações no evento mais tradicional do tour, Fanning chegou 16 vezes pelo menos até as quartas de final. Maior campeão em Bells ao lado de Kelly Slater e Mark Richards, ele disputou sete finais e conquistou quatro títulos na etapa.

❤️ #CheersMick @mfanno

A post shared by G. Medina (@gabrielmedina) on Mar 29, 2018 at 1:08pm PDT

Ídolo australiano e de todos que gostam de surfe, Fanning dá adeus às competições com três títulos mundiais conquistados (2007, 2009 e 2013). Foram 163 etapas disputadas na elite do esporte, onde ele venceu nada menos que 66% das 671 baterias em que caiu na água.

Além dos títulos, das inovações e dos fãs dentro e fora da água, Fanning também deixa marcado seu nome como o surfista que escapou ileso a um ataque de tubarão durante a etapa de Jeffreys Bay, na África do Sul, em 2015.

Mas no seguinte, Fanning alcançou a redenção. Durante seu ano sabático, o australiano recebeu o convite e topou o desafio de voltar as geladas águas de Jeffreys Bay. Mesmo com o alerta para presença de tubarão, ele não só se recuperou do trauma como foi até a final…e venceu aquele que seria o campeão mundial de 2016.

:: CAMISA (VERDE E) AMARELA ::

Com a espetacular vitória em Bells Beach, Italo Ferreira assumiu a liderança do ranking mundial ao lado do australiano Julian Wilson, que venceu a primeira etapa do ano, mas se despediu a terceira fase em Bells. Com a melhor atuação da carreira na tradicional etapa, Gabriel Medina também subiu bem no ranking, assumindo o sétimo lugar. Tomas Hermes, que foi muito bem no início da temporada, é o terceiro melhor brasileiro, na 9ª colocação. Atual bicampeão mundial, o havaiano John John Florence venceu sua primeira bateria no ano, mas foi apenas o 13º e segue mal no ranking. 

Foto: Reprodução WSL
Foto: Reprodução WSL

:: BRASIL FAZ BONITO NO FEMININO :: 

Entre as mulheres, a brasileira Silvana Lima teve um grande desempenho em Bells Beach. A surfista cearense eliminou a bicampeã mundial Tyler Wright na 3ª fase e a tricampeã mundial Carissa Moore nas quartas de final e só parou na semifinal diante da havaiana Tatiana Weston-Webb. Mas quem ficou com o título foi a australiana Stephanie Gilmore, que tocou o sino da etapa mais tradicional do esporte pela quarta vez, se isolando como a maior vencedora do evento.

Hexacampeã mundial, Stephanie Gilmore tocou o sino em Bells pela quarta vez
Hexacampeã mundial, Stephanie Gilmore tocou o sino em Bells pela quarta vez

O Mundial de Surfe continua na Austrália, mas vai agora para Margaret River. A janela de espera do evento fica aberta do dia 10 até o dia 22 de abril. Você acompanha todas as notícias do surfe aqui no Yahoo!

Leia também