Itália se classifica e sonha encarar o Brasil na final do Mundial de Beach Tennis

·3 minuto de leitura


A Itália, tetracampeã da ITF Beach Tennis World Cup, a Copa do Mundo por equipes, mostrou, nesta quarta-feira, que está disposta a recuperar o título que não vem desde 2017.

O país europeu marcou 3 a 0 sobre o Japão pelo Grupo A. Com duas vitórias em dois confrontos, o país europeu garantiu a classificação para as quartas de final junto com a França que marcou 2 a 1 sobre o Equador. No primeiro jogo, a número 1 do mundo, Giulia Gasparri, e Sofia Cimatti, quarta colocada, derrotaram Erina Otsuka e Eri Homma por 6/3 6/0. Na dupla masculina, o lendário Marco Garavini, atual nono colocado, e Mattia Spoto, 11º, derrotaram Atsuya Maki e Ryota Miyagi por um duplo 6/2. Nas mistas, com o duelo já definido, os italianos Marco Faccini e Ninny Valentini aplicaram um duplo 6/0 contra Homma e Miyagi.

Bicampeão mundial de duplas masculina em 2013 e 2014 e uma das lendas do Beach Tennis com 61 conquistas e 535 vitórias na carreira, Garavini tem o desejo de enfrentar o Brasil na final em busca do pentacampeonato. O time brasileiro tem três títulos (2013, 2018 e 2019) sendo o atual bicampeão e na busca para igualar as quatro conquistas italianas.

“Foi uma boa vitória, não é fácil jogar na quadra centra. Foi a primeira vez para nós, as referências (de bola) não são fáceis”, disse Garavini: “O time quer treinar mais (na central) buscando bater todas equipes para alcançar vaga na final e quero jogar outra partida. Quero enfrentar o Brasil e quero vencer. Tenho expectativas”.

Garavini, que já jogou torneios por todos os cantos do mundo, inclusive alguns no Rio de Janeiro no passado, elogiou a estrutura do evento. Pela primeira vez Copacabana recebe o ITF Beach Tennis World Cup após oito anos sendo disputado na Rússia.

“Está incrível a estrutura. Gosto das pessoas, da torcida brasileira, gosto da atmosfera, organização é uma das melhores do mundo, a quadra central é incrível,” disse Marco.

Giulia Gasparri concordou com Garavini e ainda foi além: “O lugar é maravilhoso, a quadra central nunca vi algo assim, é muito grande, é diferente, estou gostando, é incrível. Mundial pela primeira vez no Brasil, é uma grande chance do Beach Tennis crescer estamos muito felizes”, disse a jogadora de Ravenna que vem do título mundial de Duplas Feminina em Terracina, na Itália, no mês passado, e do título Europeu na Bulgária. Ela perdeu efetivamente apenas um jogo no ano, no ITF Sand Series em Saarlouis, na Alemanha. Sua parceira habitual, Ninny Valentini, 7ª colocada, machucou o joelho esquerdo durante a final em Terracinna e teve que abandonar durante a estreia do evento seguinte em Gran Canaria, na Espanha.

A França mais uma vez foi buscar a virada com vitórias na dupla masculina e dupla mista. No primeiro jogo do dia, Maria Quintana e Emilia Pons derrotaram Severina Bouchacourt e Ana Bigot por 6/4 2/6 10/7. Nicolas Gianotti e Theo Irigaray despacharam Bryan Garcia e Danny Alvarez por 6/1 6/0. Nas mistas, Mathieu Guegano e Pauline Mannarino superaram Quintana e Alvarez por 6/3 6/4.

Itália e França vão brigar pelo primeiro lugar do grupo nesta quinta-feira.

Pelo Grupo C, Espanha e Chile garantiram a vaga para as quartas de final e vão decidir o primeiro lugar da chave nesta quinta. Os espanhois fizeram 2 a 1 sobre Portugal,destaque para a surpreendente derrota de Antonio Ramos, quarto do mundo e campeão em Gran Canaria, e Gerard Querol, 10º, diante de Henrique Freitas e Pedro Maio. Os portugueses fizeram 2/6 6/4 10/6. Nas duplas mistas os espanhois conseguiram o triunfo com Eva Palos e Antonio Ramos marcando 6/1 6/0 sobre Manuela Cunha e Freitas.

Os chilenos garantiram a vaga com 2 a 0 com vitórias no masculino e feminino diante da novata seleção de Curaçao.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos