Itália confirma suspensão para vítima de racismo, mas Boateng defende Muntari

Jogador do Pescara saiu de campo em protesto contra torcida do Cagliari, que não foi punida

Não teve jeito: o Pescara entrou com recurso para evitar a suspensão de Sulley Muntari, vítima de racismo, mas ele terá ficar fora de um jogo. Isso porque o ganense se revoltou contra o preconceito durante um jogo e saiu de campo. Ex-companheiro de equipe dele, Kevin-Prince Boateng defendeu a atitude de Muntari.

O problema aconteceu na partida entre Pescara e Cagliari, no Estádio Sant'Elia. Aos 45mindo 2º tempo, Muntari ouviu gritos racistas e pediu para o juiz interromper o jogo, o que não foi feito, o que despertou a ira do jogador. Depois a Federação Italiana de Futebol anunciou a suspensão dele por uma partida.

De acordo com a Comissão Disciplinar que julgou o recurso, os atos racistas foram feitos por aproximadamente dez pessoas, que eram menos de 10% dos 2000 torcedores. Apesar de confirmar que houve racismo, a federação não aplicou qualquer punição ao Cagliari.

"Estou triste e entendo o Muntari. Todos sabem que ele é um cara maravilhoso e vencedor. Se ele saiu do campo, é porque algo aconteceu, e tenho que dizer que isso me choca um pouco. É difícil explicar como me sinto. Eu estou triste e nervoso por eles fecham os olhos para isso", protestou Boateng.

Agora Muntari terá que ficar fora do jogo entre Pescara e Napoli, que acontecerá no sábado (6).